Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Pub
Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» [Novidade] Royal Enfield Himalayan, uma aventura “low cost”
por LoneRider Ontem à(s) 11:15

» Rota dos Balcãs - 2017
por Vítor Soares Qua Dez 13 2017, 20:27

» Outono no Gerês
por JCTransalp Qua Dez 13 2017, 12:43

» [Revista] YAW - a primeira publicação, alimentada a gasolina.
por Serzedo Seg Dez 11 2017, 18:25

» Evento de Natal do M&D dias 2 e 3 de Dezembro Actualizado 01/11/2017
por carlos lopes Sex Dez 08 2017, 13:26

» [Legislação] Conduzir motas aos 14 anos...
por nunomsp Qui Dez 07 2017, 12:24

» [Novidade] MV Agusta Turismo Veloce - 2018
por LoneRider Sex Dez 01 2017, 18:14

» [Notícia] Moto Clube do Porto distinguido pela FIM
por LoneRider Sex Dez 01 2017, 18:05

» [Ocupar tempo] Fazer réplicas de motas em papel
por Serzedo Qui Nov 30 2017, 12:43

» 2017 - Normandia e Vale do Loire
por hugo machado Qua Nov 29 2017, 09:28

» Serra da Estrela - Cores de outono
por carlos lopes Ter Nov 28 2017, 21:18

» [Entrevista] André Pires - GP Macau & Isle of Man TT
por carlos lopes Seg Nov 20 2017, 20:41

» De Moura a Baucau "Out of the Box"
por Espsanto Sex Nov 17 2017, 21:53

» Caminito D´Del Rey
por Espsanto Ter Nov 14 2017, 19:31

» N2 Aljustrel a Pedrogão Grande
por Joao Luis Seg Nov 13 2017, 22:39

» [Notícia] Fim da revista Motociclismo?
por Serzedo Seg Nov 13 2017, 16:56

» [Novidade] Yamaha Tracer 900 GT - 2018
por piratao Dom Nov 12 2017, 20:42

» [Novidade] Agora o Motos & Destinos também no Topic'it
por Espsanto Sex Nov 10 2017, 23:11

» [Notícia] Miguel Oliveira vence Grande Prémio da Austrália
por carlos lopes Ter Nov 07 2017, 20:29

» De Lisboa a Sagres pela Costa Vicentina
por Nfilipe Dom Nov 05 2017, 15:34

» PARQUE NATURAL DE SOMIEDO - Viagem de Verão
por Espsanto Sex Nov 03 2017, 23:31

» AJUDA PARA CASTANHEIRA DE PERA
por Panzer Tank Dom Out 29 2017, 13:51

» O Caminho de Mota para a India
por Joao Luis Dom Out 29 2017, 10:03

» 3 dias pelo Alto Alentejo e Beira Baixa
por LoneRider Sex Out 27 2017, 19:20

» Viagem a Évora na nova (usada) mota
por Cesar Filipe Sex Out 27 2017, 19:15

» O regresso a Monsanto
por Cesar Filipe Qua Out 25 2017, 00:38

» TRAVELER´S EVENT
por banglentininkas Seg Out 16 2017, 10:22

» Costa Alentejana
por Pedro Rodrigues Qui Out 12 2017, 00:11

» Volta ao Mundo de Francisco Sande e Castro
por Espsanto Ter Out 10 2017, 22:07

» Redescobrindo o Brasil
por Espsanto Ter Out 10 2017, 21:54

» 2017 - Milão/Stelvio/Dolomitas/Liubliana/Verona
por Espsanto Ter Out 10 2017, 21:27

» Uma Viagem ao Centro do Mundo...
por Joao Luis Seg Out 09 2017, 13:55

» Exposição de motas antigas - Matosinhos
por Serzedo Qui Set 28 2017, 09:44

» [Notícia] Mig44 foi 2.º no GP de Aragão
por Serzedo Seg Set 25 2017, 09:40

» BOA NOVA
por Serzedo Qui Set 21 2017, 14:20

» BMW CKLT Jantar das Terças Feiras By João Luis
por Joao Luis Ter Set 19 2017, 22:42

» [Notícia] Ana Carrasco é primeira mulher a vencer num Mundial
por carlos lopes Seg Set 18 2017, 21:54

» picos da europa 2017
por Carlospira Qua Set 13 2017, 21:46

» [Notícia] Federação de Motociclismo oferece árvores
por Serzedo Qua Set 13 2017, 09:40

» Casamento Nádia & Fábio
por Serzedo Ter Set 12 2017, 20:34

» No Cabo de Gata
por Saulo wds Seg Set 11 2017, 12:45

» como transportar moto do brasil para portugal
por luisfilipe Sex Set 08 2017, 22:00

» Mais do mesmo... mas diferente: Tomates aos Picos!
por Joao Luis Qua Set 06 2017, 18:16

» De Lisboa aos Picos da Europa (4 dias)
por diariodoviajante Seg Ago 28 2017, 11:53

» 4 dias por Toledo, Segóvia e Ávila
por diariodoviajante Seg Ago 28 2017, 11:50

Tempo
Al!ve FM

Quarta-feira das 21h às 24h Burn - A hora dos motards

Mapas
Flux RSS


MSN 
AOL 


Doação por Paypal

De Maxiscooter por Marrocos

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Ter Jul 12 2016, 13:10

Depois de mais um longo período sem partilhar nada por aqui, hoje é dia de tentar retribuir um pouco do que entretanto “vim buscar”. Sim, é verdade, eu andei por aqui sem me logar, a buscar informação para a viagem das férias 2016, e já que levei, agora é altura de vir deixar a minha versão, para outros se servirem.
Começo por dizer que a minha visão é um pouco diferente daquela que costumo ler quando se fala de Marrocos, mas na verdade, apesar de ter gostado muito, e apesar de achar que é de passagem obrigatória para qualquer alma que goste de viajar, não é local que tenha entrado para a minha lista de locais que quero muito repetir.
Deverei lá voltar certamente, mas irei com um espírito diferente, e seguramente melhor preparada para contornar as diferenças que tornaram menos fácil esta viagem.
Provavelmente levarei outra companhia, pois o meu marido, o habitual companheiro de viagem, teve ainda maior dificuldade para se adaptar do que eu, o que não facilitou as coisas.
Passei por locais lindíssimos, vi paisagens de perder a cabeça, mas na verdade, para conseguir ver alguma coisa em Marrocos, é preciso pagar,... e pagar,... e novamente pagar, e ainda por cima, temos que levar com o assédio permanente dos marroquinos a oferecer-se para nos levar a todo o lado, para nos estacionar as motas, para nos mostrar onde comer, onde comprar, mesmo que, não exista da nossa parte qualquer intenção de comprar, de comer ou de visitar!
Aos poucos irei contar, dia a dia como foi a nossa passagem por Marrocos, mas para já, fica este pensamento: Marrocos foi para mim saldo zero, ou seja, o saldo entre o que vi e adorei e o que não gostei de todo, não dá saldo positivo, mas também não dá saldo negativo, por isso, considero que a experiência teve saldo ZERO
Gostei? Sim, gostei do país;
Voltarei? Talvez, mas para já não me apetece!
É demasiado difícil e eu não tenho vocação para o sacrifício, e além disso, conheço felizmente tantos outros destinos de onde volto com uma imensa vontade de imediatamente regressar, coisa que não aconteceu ao deixar Marrocos.
Mas vamos ao que interessa!
A primeira etapa:

Saímos cedo.
Ao contrário do que é habitual, não arrancámos logo no 1º dia de férias, porque não tinha havido tempo para preparativos, e o sábado teve que ser gasto na preparação de trajecto, reserva de alguns alojamentos no booking, bagagem,… etc.
Na verdade, o destino era um pouco diferente do que estamos habituados, e por isso optamos por algum planeamento, até porque ainda por cima íamos sem GPS!
Tinham-nos dito que o mapa de Marrocos da Michelin era indispensável, e por isso levamos um, mas na verdade nunca o abrimos. Em vez disso, comprei a versão premium da aplicação B-on-road para telemóvel, e foi com isso que nos desenrascámos.
Ainda tentamos usar o Google maps, que agora tem a excelente função de mapas offline, mas infelizmente a zona de Marrocos não é disponibilizada.

Domingo, saímos com chuva, e fizemos quase sem história a viagem até ao Ferry em Tarifa.
Digo quase, porque sempre tem que haver alguma para contar, e em plena auto-estrada vejo passar a grande velocidade qualquer coisa clara, redonda, que rebolou até ao separador central, e que parecia vir da maxiscooter do marido, mas como não conseguimos perceber o que era, nem tão pouco tivemos a certeza de que fosse dele, seguimos viagem, e só numa "paragem técnica" já em Tarifa é que ele olhou para a maxiscooter e viu que faltava o embelezador da ponteira do escape.

 
Chegámos à hora prevista ao Porto, levantámos os bilhetes que préviamente tinhamos reservado online, (junto com os bilhetes entregaram-nos um papel branco para preencher), entrámos com as motas no ferry, assistimos ao trabalho de as prender, e subimos à ampla sala de passageiros.






 
O mar estava agitado, e as funcionárias da limpeza estavam atentas preparadas com sacos para o enjoo que entregavam assim que notavam alguma mudança de cor na cara de algum passageiro!...  
 Eu já tinha lido que as formalidades da entrada em Marrocos começavam logo no barco, e assim que entrámos, encontrámos logo o "gabinete". Preenchemos o papel branco, entregámos ao funcionário, juntamente com  os passaportes, e ele ficou com o papel, colocou-lhe diversos carimbos, carimbou os passaportes e atribuiu a cada um de nós um numero de entrada no reino de Marrocos, numero esse que iríamos ter que preencher muitas vezes ao longo da estadia.  

 

 Chegados a Tanger e libertadas as motas, seguimos para o portão de saída do porto onde nos esperavam os funcionários da alfandega e a polícia.  Deram-nos mais um papel verde - importação temporária de veículos, preenchemo-lo, com a ajuda dos polícias, que depois pegaram neles juntamente com os passaportes, e nos mandaram subir ao 1º andar, onde outros polícias nos fizeram algumas perguntas. Quando já íamos a regressar ao andar térreo, fomos abordados pelo primeiro diligente marroquino, que nos indicou onde poderíamos trocar dinheiro, apesar de passarmos bem à frente do local, e de ser impossível não ver, e apesar também de entre o local onde estávamos e o portão do porto existirem caixas de multibanco de cuja existência até já estávamos informados!
Mas os marroquinos são muito diligentes, e adoram "ajudar" estrangeiros, e claro, assim que recebemos os nossos primeiros dirhams,... alguns tiveram logo que  mudar de mãos!... não sei bem porquê, mas depressa aprendi que apenas é assim ;-)  
 Enfim,... foi o começo...  
 Tínhamos estudado o trajecto desde o porto até ao IBIS, e parecia fácil, mas quando chegámos parecia hora de ponta apesar de ser Domingo, e foi uma entrada abrupta na realidade de Tanger.  
 Levava montado o telemóvel como GPS para nos guiar, e ainda dentro do porto, um dos polícias apontou para ele e abanou a cabeça. Julguei que fosse apenas para ter atenção a ele enquanto ali estávamos nas formalidades, e por isso desmontei-o, mas antes de sair o portão voltei a colocá-lo para nos guiar até ao hotel.
O trânsito estava caótico, e várias motas pequenas, daquelas que têm pedais auxiliares, passavam por nós e grande velocidade, serpenteando entre os carros, e um dos rapazes que seguia numa delas, prestou demasiada atenção ao telemóvel, pelo que o marido avisou logo: "cuidado com o telefone", e quase ao mesmo tempo, um senhor que seguia num jeep ao meu lado buzinou e fez-me sinais com um ar muito alarmado, apontando para o telefone.

Aí fez-se luz, e imediatamente o guardei!

Na verdade, já tinha lido que em Marrocos existem duas cidades menos seguras, e uma delas era Tanger. A outra é Casablanca.

Como nos tinha sugerido o amigo Jorge Bernardo, um experiente viajante que já perdeu a conta ao numero de vezes que visitou Marrocos, ficámos alojados no Ibis.


  No dia seguinte, seguimos para Tetouan.  
 Assim que entrámos na cidade, ao contornar uma rotunda para decidir que rumo tomar para estacionar e dar uma volta a pé, o meu marido foi logo abordado por mais um "diligente marroquino", que perguntou se procurávamos parking, e nos mandou seguir atrás dele.  Decidimos aceitar a sugestão, e seguimo-lo, e ele correu à nossa frente guiando-nos até á garagem onde tem comissão. Perguntei o preço, ele perguntou-nos quanto tempo iríamos ficar, dissemos que apenas dispúnhamos de algumas horas, e o dono da garagem que acompanhou a conversa informou-nos de que o preço seriam 20 dirhams por cada  mota, e acrescentou que não aceitava euros.  E,... esqueci-me de uma das "regras" que tinha lido nos blogues e páginas que li sobre Marrocos, e não perguntei ao Hassan quanto é que ele cobrava pela visita!  
 Tetouan fica encravado entre montanhas, e a vista é lindíssima!  

 Entrámos na medina.
 Espreitámos o mercado do peixe.

  Na rua, vende-se de tudo.

  Nota-se que Tetouan está preparada para o turismo, com indicações em vários idiomas, explicando o significado e a história de cada local.  
 
   Por entre ruas e ruelas, cada uma mais estreita que a anterior, vamos encontrando lojas de toda a espécie, e artesãos a trabalhar os mais diversos materiais.   Este, estava a entalhar madeira. Um trabalho lindíssimo feito ali à vista de todos com mestria por um jovem.

 
 

















 
Uma padaria:

  O pão marroquino é excelente! nas 2 semanas que por lá andámos, o pão e as azeitonas foram a base da nossa alimentação.

















 
 E eis que o Hassan nos leva para dentro de uma loja...  Eu ainda protesto, digo que não queremos nem podemos comprar nada porque como ele bem sabia, estávamos de mota e com as motas carregadas, mas como sempre fazem, ele disse que seria só para ver...  Era um edifício bonito, e realmente valia a pena visitar, mas claro que o objectivo era vender...  



  Começou com os produtos á base de argan! são cremes, óleos corporais, perfumes, óleos alimentares, tudo com base no argan, mas declinamos tudo com a desculpa de termos as  motas cheias e ainda estarmos no início das férias.  Claro que entretanto o Hassan tinha desaparecido...  





  Entrámos num verdadeiro labirinto, passámos pela secção das loiças,...

  E finalmente, na zona dos tapetes mandaram-nos sentar,  e começaram a tentar vender-nos um tapete pequeno, e já vinha um marroquino com a bandeja do chá, quando o que nos tentava vender algo percebeu finalmente que não ía conseguir, e mandou recolher a bandeja, devolvendo-nos rápidamente ao Hassan, muito pouco satisfeito!



  Aproximava-se a hora do almoço, e o Hassan levou-nos para dentro de uma casa, que afinal era um local onde se faziam casamentos, e que também funcionava como restaurante, apesar de os únicos clientes que lá vimos termos sido nós.
 


  A ementa! tem tudo menos o preço...    


    Escolhemos o que queríamos, perguntei o preço, 70 dirhams por pessoa,... achei caro, mas a senhora que nos recebeu, com a ajuda do Hassan que entretanto já nos tinha perguntado se era a nossa primeira vez em Marrocos,... quanto custavam as nossas motas, quanto filhos tinhamos,... etc,... não aceitou negociar, e lá teve que ser...  






























  Entrámos numa fábrica de curtumes, de momento quase desactivada.



























  Voltámos ao restaurante para almoçar, e o Hassan tinha trocado o pedido do marido, que foi confrontado com muitos legumes que ele não gosta, e nenhuma batata frita que era o que tinha pedido.



 
Para mim uma tagine de legumes e carne, que estava deliciosa.



 
 
E saímos da medina, voltando à zona nova da cidade.

   O palácio do Rei.
Em cada cidade há um, e sempre muito bem guardado, independentemente de o rei lá estar ou não. Fiquei com a sensação de que a ideia é nunca se saber exactamente onde está o rei em cada momento.


 







Fazia-se tarde e ainda queríamos visitar Chefcouen, pelo que o Hassan levou-nos de volta ás motas. Pagámos o parque directamente ao dono, e pagámos ao Hassan o que ele pediu.
Já nem me lembro quanto, mas lembro-me de ter achado caro, mas na verdade não tínhamos perguntado antes, e a visita foi muito boa, pelo que pagámos e saímos de Teouan em direcção a Chefchouen, a medina azul, e amanhã ou depois passo por cá para contar como foi Cool

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por nunomsp em Ter Jul 12 2016, 14:07


Bom início de crónica!

Fica já 1 Mérito só pela coragem da escolha desse destino.

Venha mais.
avatar
nunomsp
Zero à direita
Zero à direita


http://www.nuno-pereira.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qua Jul 13 2016, 13:19

Obrigado nunomsp Smile
E hoje cá deixo mais uma pequena etapa:
Deixámos Tetouan, a medina branca, e descemos até Chefchouen a medina azul.
Em Tetouan a chuva acompanhou-nos na visita, e foi connosco até Chefchouen, mas apesar disso, não nos impediu de visitar nenhuma das 2 medinas.




Já chegámos um pouco tarde, pelo que foi só fazer o check in no hotel, e sair para explorar a medina e jantar.
Como não tínhamos nenhum plano de visita em especial, e como precisávamos de jantar, resolvemos partir à procura da praça Uta el-Hammam, que foi o local escolhido pelo MSP na viagem a Marrocos para jantar em Chefchouen.
Aqui aproveito para agradecer as dicas e o programa de viagem que nos foi "emprestado" pelo Torres, e que deu um jeitaço!
Por coincidência tínhamos marcado alojamento exactamente no mesmo hotel que eles, e é fácil perceber porquê - é o que fica melhor localizado para visitar a pé a medina. É muito pitoresco, e o pessoal é simpático, só não gostei muito foi do banho de muito pouca água, e fria, que tomei :-O









No Ibis de Tanger estavam estas 2 motas que ainda lá ficaram. Mais tarde, vimo-las passar em Tetouan, e fomos encontrá-las no hotel em Chefchouen.



Quando pensamos em Marrocos, pensamos em deserto, e em cenários áridos, amarelos dourados, mas nesta zona o cenário é verde, e em Chefchouen corria água por todo o lado.















É sem dúvida uma medina muito bonita, mas achei o tom do azul um bocado diferente do que estou habituada a ver nas fotos dos muitos viajantes que por lá passam.
Fiquei na dúvida se seria por causa época do ano, ou da luz de fim do dia, ou do céu nublado, ou até por causa da chuva, porque a cor é dada na cal, e como se sabe as paredes caiadas assumem uma cor um pouco diferente quando estão molhadas.







































Não sei se por foi por já ser tarde, a verdade é que não fomos incomodados por nenhum "diligente marroquino", e pudemos andar livremente perdido pela medina.

Foi delicioso!










Por lá também existiam placas destas, que identificam os locais e contam um pouco da história.

Descobrimos que Bab significa porta, andámos mais ou menos perdidos, e  finalmente, com a ajuda do B-on-road chegámos à praça Uta el-Hammam.

























































Jantámos numa varanda, no restaurante SíndíBad. Para mim foi mais uma tagine de legumes e cous cous, e para o marido, uma espetadas, desta vez com batata frita. Para sobremesa uns bolinhos e chá de menta.

A malta fala muito bem do chá, mas ou eu tive muito azar, ou aquilo é demasiado doce para mim! Confesso que não gostei.
Costumo fazer em casa com poucas folhas e uma casca de limão é é muito bom, mas em Marrocos, todos os chás que bebi eram super enjoativos de tão doces que eram.












Regressámos ao hotel já noite cerrada.









No dia seguinte o destino seria Fez.

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Rico Sousa em Qua Jul 13 2016, 18:16

Partilho do mesmo sentimento qto a visitar o país. Só estive em Tanger e, ñ de moto, e ñ tenho planos de voltar (ñ digo desta água ñ beberei, mas...) e já tive oportunidade de fazer parte de grupos motards q lá foram... descartei.
Parabéns pela viagem, crónica e fotos excelentes ( classificação fica pro fim) vai  +1  como incentivo  cheers

________________________

... e vamos com calma!
FJRico
avatar
Rico Sousa
Zero à direita
Zero à direita


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por tmr77 em Qua Jul 13 2016, 18:36


Bela viagem Palmas e fotos Rock in
avatar
tmr77
Zero à esquerda
Zero à esquerda


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Serzedo em Sex Jul 15 2016, 11:08

Que crónica espectacular. Palmas

Venha o resto. Sim

"V"

________________________
Google+ | | Mototurismo a dois | | Spritmonitor.de
Andar de mota é uma arte e cair... faz parte!! Fábio Pereira é o meu nome, Serzedo a minha terra.
avatar
Serzedo
Manda chicotadas.
Manda chicotadas.


http://www.mototurismoadois.pt.vu

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Luís Azevedo em Sex Jul 15 2016, 21:31

Já não vinha aqui há algum tempo e já valeu a pena.
Mérito

Felizmente parece que tivemos resultados muito diferentes.
Tudo é mais interessante quando nos mostram as coisas de outra perspectiva.
Vou acompanhar com muita curiosidades.
avatar
Luís Azevedo
Ainda é motorato!
Ainda é motorato!


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Ter Jul 19 2016, 20:38

Obrigado, malta! isto vai devagarinho, mas vamos andando. Afinal, as maxiscooters não são máquinas para grandes velocidades Laughing








Tomámos o pequeno-almoço, 





 photo Marrocos 487_zpsaac9knlr.jpg





...despedimo-nos da medina azul, 





 photo Marrocos 489_zps7yusazom.jpg





...descemos os degraus do hotel que tínhamos subido na véspera, mas desta vez
molhados, Ô_Ô e fizemo-nos á estrada.





 photo Marrocos 490_zpsvg1oh9zu.jpg





A paisagem continuava verde, e molhada…





 photo Marrocos 502_zpsh84q21mt.jpg





 photo Marrocos 505_zpsdstvftbe.jpg





Ao longo da estrada vamos encontrando grandes grupos de crianças, claramente em transito (a pé) entre a escola e a casa. Não é como cá, que os papás vão deixar os putos de carro quase dentro da escola!





 photo Marrocos 511_zpsedkgbidz.jpg





 photo Marrocos 528_zpstv12ofql.jpg





 photo Marrocos 529_zpssnm6ke8m.jpg








A distância não era grande pelo que chegámos cedo, e mais
uma vez, numa rotunda á entrada de Fez, fomos abordados por mais um “muito
diligente marroquino” que nos queria guiar até ao hotel, até á medina, etc…


Eu precisava de um wc com urgência, e o “simpático”
marroquino não nos deixava andar, apesar de o hotel já estar á vista, pelo que
desisti de esperar pelo marido e arranquei para dentro do estacionamento do
hotel. Ele seguiu-nos assim mesmo!


Tinha um tio (são sempre familiares) que viria buscar-nos
para nos levar a almoçar e a visitar a medina de Fez! Recusámos, dizendo que
primeiro queríamos descansar, e que só mais tarde iríamos até á medina, mas
quando finalmente saímos do hotel, depois de fazer o check in, de mudar de
roupa e descansar um pouco, tínhamos mais um adorável e muito “diligente
marroquino” á nossa espera dentro de um jeep.


Era o tal familiar do outro marroquino, e estava ali para
nos levar a visitar a medina, pela módica quantia de 500 dirhams!


Agradecemos e recusámos!


Estava a chover, e pedimos ao recepcionista do hotel para
nos chamar um táxi, mas ele disse-nos que não era possível!


Explicou-nos que em Marrocos existiam 2 tipos de táxi: os
grand táxi, que levam muitos passageiros, e que pode ir a todo o lado, e os
petit táxi, que apenas podem transportar até 3 passageiros, e apenas dentro dos
limites da cidade a que pertencem. Explicou-nos ainda que ambos podiam sempre
apanhar mais passageiros no caminho, mas aparentemente não têm radio táxi, para
que pudéssemos chamar por telefone!


Em cada cidade, estes petit táxis têm uma cor diferente, e
em Fez eram vermelhos.


Saimos do Ibis Budget, e parámos debaixo do toldo de um
café, a ver como apanhar um petit táxi, mas eles passavam tão depressa, e quase
sempre cheios, que ainda demorou algum tempo. Finalmente, vemos um Peugeot 205,
com mais de 30 anos, e totalmente
amolgado, mas vazio, e na faixa contrária à que nos encontrávamos. Fizemos
sinal e imediatamente inverteu a marcha para nos apanhar.


Foi a nossa primeira experiência com táxis marroquinos, e
gostámos tanto que repetimos diversas vezes! Pagámos 15 MAD (cerca de 1,50 €)


Quem teve ou andou num Peugeot 205, deve certamente
lembrar-se de que aquilo adorna muito facilmente, (mas não vira), mas agora
imaginem andar num carro desses, com mais de 30 anos, em serviço de táxi que
equivale a dizer que já tinha rolado muitos milhares de km, e no trânsito frenético e caótico das cidades marroquinas!...


Chegámos vivos, e ele deixou-nos á porta da medina, num
local onde teríamos restaurantes logo á entrada.


Pelo caminho, várias pessoas o mandaram parar, mas nenhuma
ia na mesma direcção, pelo que só quando já estávamos a pagar é que entrou mais
um passageiro.


Seguramente que clientes não lhes faltam!


Almoçámos razoavelmente bem, umas costeletas de borrego com
batatas fritas, e foi a coisa mais parecida com a nossa alimentação que comemos
em todo o tempo que andámos por lá, mas antes do prato propriamente dito,
puseram-nos á frente uma pequena tigela de uma espécie de sopa de lentilhas,
com uma colher de chá. Provámos, não era picante, e comemos tudo ;-)





 photo Marrocos 539_zpsu1fwf89h.jpg





 photo Marrocos 540_zpsypdkr5vy.jpg





Depois de almoçar, perguntámos ao dono do restaurante onde
haveria um banco para trocar dinheiro, e é fácil adivinhar!... Trocou ele, ao
câmbio de 10 por 10…



Fomos finalmente perder-nos dentro da medina!






 photo Marrocos 541_zpscb2wraoy.jpg





 photo Marrocos 543_zpsvji3uitu.jpg





 photo Marrocos 544_zpsngkdie0z.jpg





 photo Marrocos 545_zpsyvp9ubar.jpg





 photo Marrocos 546_zpspvcwqdn6.jpg





 photo Marrocos 547_zpssrdunukz.jpg





 photo Marrocos 548_zpstgi4fviu.jpg





 photo Marrocos 549_zpsra1jswkf.jpg





O trabalho da senhora da perna partida era partir a casca das sementes de argan, para extrair o "fruto".





 photo Marrocos 551_zpsm309qkiy.jpg





Conseguimos
passar pelos “diligentes marroquios” que ofereciam os serviços de guia sem
levar nenhum, e ainda andámos um bom bocado à-vontade perdidos dentro da
medina, mas ao fim de algum tempo, um rapaz começa a seguir-nos e vai fazendo a
pergunta da praxe:




- Francês?


- Espanhol?


- Italiano?


- …ahhhh português!


- Porto, Lisboa,… Cristiano Ronaldo!


- Primeira vez em Marrocos?


É sempre igual!


Este chamava-se Aziz.


Depois de conseguir apanhar uma resposta nossa (o marido
nunca conseguia resistir por muito tempo), já não nos largou mais, e claro que tinha um tio que
tinha uma fábrica de curtumes, e claro que nos deixaria subir ao terraço par
espreitar…


Fomos com ele, levou-nos mais para o interior da medina,
para ruelas onde sozinhos ainda não nos tínhamos atrevido, daquelas em que
temos que nos baixar para passar o arco da entrada, e finalmente entrámos num
edifício, daqueles que têm loiças, cremes e óleos á base de argan, lenços
echarpes e djellabas, e finalmente os tapetes e curtumes.


Encaminharam-nos para uma escada estreita e íngreme, e apontaram
um cesto cheio de hortelã, mostrando por gestos que seria para cheirar, para
não sofrer tanto com o cheiro típico da curtição das peles.

Subimos sozinhos, e estivemos por lá um bocado.





 photo Marrocos 552_zpskrrk1lw6.jpg





 photo Marrocos 554_zpsag0mb3gn.jpg





 photo Marrocos 556_zpsqwh9uu9y.jpg





 photo Marrocos 558_zpsuapv1ds4.jpg





 photo Marrocos 563_zpsrwfr4kel.jpg





Quando
descemos, claro que o Aziz não estava visível, e em vez dele havia vários
“familiares” prontinhos para vender alguma coisa.


Ainda não tinha comprado nada, e claro que perante os
tapetes e as loiças explicámos que estávamos de mota,… nos cremes e nas malas
dissemos que só no regresso, mas eu tinha-me esquecido de levar um cinto, e
andava com as calças a cair, pelo que comecei a ver os que lá tinham, e embora
não visse nada que realmente agradasse, escolhi um que estaria disposta a
comprar para remediar a coisa. Começaram logo á procura do meu tamanho, dizendo
que ajustavam se necessário, agarrando na ferramenta, e eu ía perguntando o
preço, que é sempre a última coisa que dizem…


350 dirhams!...


Ía caindo para o lado!


Nunca daria mais de 5,00 € por aquilo, e ele estava-me a
pedir 35,00 €!... em Marrocos, o país onde o salário mínimo é de 10,81 MAD por hora para a indústria e 52,50
dirhams por dia
para a agricultura!


Recusei, mas em Marrocos não se pode simplesmente recusar, e
somos obrigados a fazer uma contra proposta, pelo que ele perguntava quanto
dava. A distância era tão grande que eu só queria acabar com a conversa e fugir
dali, até porque tinham-se juntado alguns 5 ou 6 “familiares”, e todos faziam
observações, pelo que após muita insistência apesar do meu ar incrédulo e
chocado, lá atirei para o ar que não daria mais do que 2 ou 3 €, para acabar
depressa com a conversa!


Eles conhecem muito bem o valor do euro, e ficaram muito ofendidos, chamaram o Aziz e correram connosco da loja.

Claro que o Aziz quiz receber a propina dele, e com muito custo lá aceitou 80 MAD (cerca de 8,00 €), e depois, sem sair da loja, indicou-nos o caminho para sair do labirinto e chegar até á "rua principal" que não é mais do que uma ruela identica ás restantes, cheia de lojas dos 2 lados, mas com mais 2 ou 3 cm de largura do que as restantes.




 photo Marrocos 569_zpstydovjhf.jpg




 photo Marrocos 570_zpsilzg3st9.jpg





 photo Marrocos 571_zpsmygszjbh.jpg





 photo Marrocos 573_zpsq7c2ebmm.jpg





 photo Marrocos 574_zpsiyqysjmv.jpg





 photo Marrocos 575_zpskjojn5un.jpg





 photo Marrocos 576_zpsljmr2bzn.jpg





 photo Marrocos 577_zpsxqdcuwu0.jpg





 photo Marrocos 578_zpshmx5zerz.jpg





 photo Marrocos 579_zpsaxyrvexu.jpg





 photo Marrocos 580_zpsvks4gljb.jpg





Saímos da medina, e cá fora preparava-se tudo para o festival de músicas sagradas do mundo.





 photo Marrocos 587_zps21g2caoq.jpg





Andámos o resto da tarde mais ou menos perdidos na parte nova da cidade, e fizemos km a pé, mas o que mais me cansou foi a dificuldade para respirar que senti em todo o tempo que andei por Marrocos!

Os carros são muito velhos, e há ciclomotores e velocípedes com motor auxiliar (a maioria motobecane), tudo com motores a 2 tempos, aos milhares, que passam freneticamente por nós, numa espécie de caos mais ou menos organizado, onde todos sabem para onde vão, e se cruzam sem problemas por todos os lados de todas as maneiras.

Só que o ar é carregado, poluído, de uma forma que por cá há muito já não sentimos, e como eu tenho dificuldades respiratórias, senti alguma dificuldade.



Ainda por cima, nas cidades cheira sempre a esgoto!





 photo Marrocos 588_zps63omiaik.jpg





 photo Marrocos 589_zpsvqkudlql.jpg





 photo Marrocos 599_zpsjhh62xsr.jpg





 photo Marrocos 600_zpsint1sxac.jpg





 photo Marrocos 601_zpsjnec7ijb.jpg





 photo Marrocos 605_zps2zpythat.jpg





 photo Marrocos 612_zpseaviolcu.jpg





Fomos dar a um moderníssimo shopping, onde aproveitámos para jantar, e depois regressámos novamente de táxi ao hotel. Desta vez, calhou-nos um fiat panda, também seguramente com mais de 30 anos, e com o espelho retrovisor esquerdo pendurado!





 photo Marrocos 615_zpstohkihp3.jpg





________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Rambo em Ter Jul 19 2016, 21:05


Nunca lá fui.. mas parece-me mesmo que o melhor de Marrocos é o deserto! (para quem nunca o viu).
Não admira portanto que a certa altura os caras se tenham mudado para a Peninsula Ibérica..
avatar
Rambo
A tirar a carta
A tirar a carta


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qua Jul 20 2016, 22:06

@Rambo escreveu:
Nunca lá fui.. mas parece-me mesmo que o melhor de Marrocos é o deserto! (para quem nunca o viu).
Não admira portanto que a certa altura os caras se tenham mudado para a Peninsula Ibérica..

O Deserto é bonito, mas também é um pouco assustador! nós chegámos a imediatamente após uma tempestade de areia que manteve os turistas presos quase uma semana em Arfoud e Merzouga. No dia em que chegámos, ainda vimos ao longe, a areia no ar, e na cidade eram bem visíveis os estragos causados.
Quando nos estávamos a aproximar de Arfoud e vimos a areia no ar, confesso que tive algum receio, porque nós temos tendência para ser apanhados no meio da intempérie. Felizmente chegámos algumas horas depois, já em plena bonança Cool

Mas vamos lá deixar aqui mais um bocadinho de marrocos:

Deixámos a confusão das obras em Fez, e descemos até ao deserto.



 photo Marrocos 624_zpsz58kr26j.jpg



 photo Marrocos 629_zpsx64ihoak.jpg




Fizemos uma breve paragem junto do Parque Cèdre Gouraud para espreitar os macacos, mas só ficámos o tempo estritamente necessário para ver e tirar umas quantas fotos aos macacos, e "fugimos" imediatamente antes de os tais marroquinos que só nos querem "ajudar" terem tempo de nos abordar com os saquinhos de amendoins para os macacos.





 photo Marrocos 637_zps3bhherjy.jpg



 photo Marrocos 639_zpsy7pxxnh8.jpg



 photo Marrocos 640_zpsijuimyar.jpg



 photo Marrocos 646_zpsb9ejymob.jpg



 photo Marrocos 651_zpsfqwvmaec.jpg




Aos poucos a paisagem foi começando a mudar!


Um pouco menos de chuva, um pouco mais de calor. 


Um pouco menos de verde, um pouco mais de amarelo torrado...



 photo Marrocos 652_zpsuwtz71qf.jpg




Parámos para almoçar, e fomos cair num restaurante vazio, dentro de um jardim, e mais uma vez,... comemos mal e pagámos caro, e ainda por cima, no fim o dono ainda nos sacou mais uns trocos pelo "excelente serviço prestado"!




Observem:




As entradas - azeitonas de várias cores e um molho que nenhum de nós conseguiu comer:



 photo Marrocos 662_zpsgbe2uddf.jpg




O primeiro prato - uma salada da qual nenhum de nós conseguiu sequer debicar,...



 photo Marrocos 664_zpsjtosf8lt.jpg




 


Para ele, uma Tagine de frango com limão.



 photo Marrocos 665_zps0sjlsfhd.jpg




 


E para mim, uma tagine de carne com ameixas, que não sendo má de todo, estava como sempre excessivamente temperada e muito picante, e sem qualquer acompanhamento, porque eles acompanham tudo com pão.

Aliás, o pão e as azeitonas foram a base da nossa alimentação durante toda a estadia, e devo dizer que o pão é excelente!


Já as azeitonas,... tinham dias ;-)



Confesso que andei a maior parte do tempo com o estômago ás voltas, porque não tolero bem o picante, e não houve omeprazole que chegasse para desfazer o mal que picante me foi fazendo.



 photo Marrocos 666_zpsgjkrnytk.jpg




O melhor de tudo foi mesmo a sobremesa, que serviu para atenuar um pouco o efeito do picante.



 photo Marrocos 668_zpscpnehmgr.jpg




O pior foi que não tínhamos dinheiro trocado, e o troco ainda era considerável, pelo entregámos o dinheiro, e ficámos á espera do troco, e ao fim de 15 minutos, comentei o que já estava a pensar há um bom bocado!...


"ele está a fazer-se ao troco!"


"Está agora!?... é muito dinheiro!"


"vamos ver!..."


Mais um quarto de hora passou, e precisávamos de arrancar, mas nem vivalma, pelo que decidimos plantar-nos na porta de forma a mostrar claramente que não iríamos desistir, e então lá apareceu com o troco num prato, mas quando o marido estendeu a mão para o receber, ele recolheu o prato com um ar muito ofendido, (fartámos-nos de ver aquele ar...) e perguntou se não estávamos satisfeitos com o serviço dele,...


...metade do troco lá teve que ficar!...




Daí para a frente, a paisagem passou a ser predominantemente amarela.



 photo Marrocos 679_zpsskbhkzox.jpg



 photo Marrocos 685_zpspgzmfelg.jpg




 photo Marrocos 712_zpskcgt1iwy.jpg




Mas a determinada altura, começámos a ver uma mancha verde.



 photo Marrocos 709_zpsigy3m2nj.jpg




E junto de um rio, a acompanhar as respectivas margens, um imenso palmeiral.




 photo Marrocos 714_zpssdj4mqln.jpg



 photo Marrocos 724_zps2pbwq43x.jpg




Passámos o túnel do legionário, que foi escavado a pá e picareta na rocha, e se mantém como tal até a actualidade, sendo uma atracção turística bem conhecida, mas quando passámos não havia por lá ninguém.




 photo Marrocos 727_zpsdudhahzu.jpg



 photo Marrocos 728_zps5unfgjnw.jpg




E depois do túnel, um imenso lago com uma cor inscritível!



 photo Marrocos 749_zps7mjfylor.jpg



 photo Marrocos 750_zpskmeluzht.jpg




e lá está, de vez em quando, uma escola no meio de nada...



 photo Marrocos 757_zpskemsevia.jpg




E "bandos" de miúdos agrupados por idade a caminhar ao longo da estrada.



 photo Marrocos 758_zpsgaflivvb.jpg




Continuámos pelo vale do Ziz, que nos acompanhou por muitos km, com o seu interminável palmeiral.



 photo Marrocos 762_zpsxd84cytk.jpg



 photo Marrocos 770_zps4ahhstzl.jpg



 photo Marrocos 777_zpsyq63svc1.jpg



 photo Marrocos 778_zpsetlmk3au.jpg


 photo Marrocos 779_zpsj0kywcoh.jpg



 photo Marrocos 780_zpszwnoxmlp.jpg



 photo Marrocos 781_zpspciu1ytp.jpg



 photo Marrocos 783_zpszznsph5q.jpg




É impressionante as cargas que transportam, de carro, de camião, de burro, ás costas ou de motobecane!




 photo Marrocos 653 cortada_zpsf1vpmqk5.jpg




Dei uma de "Gracinda Ramos" e fui brincando com a sombra ;-)



 photo Marrocos 795_zpszjeqwtgu.jpg




Chegámos a Arfoud já perto do fim do dia, e com muito calor.



 photo Marrocos 799_zpstv10i3xg.jpg




Cansados, a derreter com o calor, e com a fome a atormentar-nos, tivemos alguma dificuldade para encontrar o hotel, que tinha um nome diferente do que aparecia no booking, e quando finalmente chegámos, o quarto que nos atribuíram apesar de muito amplo, e bonito, cheirava a esgoto, pelo que tivemos que trocar, e ficamos num quarto gigantesco onde cabia a nossa casa inteira!


Descemos para procurar jantar, e como estávamos cansados, negociamos com o recepcionista do hotel o preço alí mesmo para não termos que andar á procura, mas não correu muito bem...





O jantar era composto de sopa, 1º prato a escolher entre 2 opções, 2º prato também a escolher entre 2 opções, e sobremesa, igualmente a escolher entre 2 opções, pelo que cada um de nós escolheu uma opção diferente, pois assim, alguma coisa haveria de ser comestível...


....


A sobremesa conseguia-se comer!





Saí da sala de jantar para falar com a filhota, porque na sala não havia net, e quando voltei, as sopas estavam na mesa, mas o marido avisou logo:


"Acho que não vais conseguir comer"


Provei, e quase tive que comer um pão inteiro para limpar o picante da boca!


Veio o primeiro prato, para ele um esparguete á bolonhesa deslavado e picante, e para mim uma tagine de kefta que é uma espécie de almôndegas super temperadas, que provei a medo, e lá tive que comer outro pão para limpar o picante da boca.


Por esta altura já tinha a boca dormente só de provar, mas quando vieram os segundos pratos,... nem o marido que é menos sensível ao picante conseguiu comer!


As sobremesas eram melancia, e um sortido de pequenos bolos secos, e isso acabou por ser o nosso jantar!


Fomos sentar-nos na recepção a decidir como fazer para ir ao deserto, e o recepcionista veio perguntar-nos pelo jantar...  


Entretanto, claro que ele tinha um amigo, com um jeep, que levava pessoas a conhecer o deserto, e claro,... propôs-nos um programa para ir ao deserto com 2 opções: 


1ª - por cerca de 60 € iríamos ver o sol nascer, e dar uma volta pela zona;


2ª - por cerca de 120 € poderíamos fazer um programa mais completo, assistindo ao pôr do sol no deserto, dormir por lá, e depois assistir ao nascer do sol nas dunas.


Escolhemos o programa mais modesto e deixámos claro que não queríamos comprar nada, que estávamos tesos e fartos de ser forçados a pagar por tudo e por nada, pelo que ele garantiu-nos que o tal amigo não tentaria vender-nos nada.


Ficou combinado que ás 4:30 horas da madrugada, o amigo viria buscar-nos, levar-nos ao deserto para ver o sol nascer, mostrar-nos um pouco da zona, e trazer-nos de volta ao hotel a tempo de tomar um pequeno almoço reforçado para compensar o desastre do jantar. 


O resto do dia  seria para dormir e aproveitar a piscina do hotel.





Fomos dormir um pouco...

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Joao Luis em Qui Jul 21 2016, 00:37

Viva, já vi que a experiência teve momentos menos agradáveis pois deixe-me dizer-lhe que a segunda vez que estive em Marrocos mas que fui mesmo ate Marraquexe   foi em 2003, tive uma experiência de tal maneira negativa que jurei   nunca mais la voltar....e não fui durante 8 anos, fui ate Angola de Mota, andei por muitos países do médio oriente mas Marrocos é que nunca mais, os amigos interrogavam-me e interrogavam-se o porquê desta minha decisão ate que um dia em 2011 estava a jantar em Lisboa e tinha uma semana de ferias sem destino, conversa puxa conversa e mais isto e mais aquilo e era meia noite sai disparado  de Lisboa eram 4h da tarde estava em Marraquexe...enfrentei os meus medos e fobias, basicamente esqueci o que se tinha passado, ou por outro lado, pensei em não generalizar o que se tinha passado comigo em 2003, e assim foi, depois desta vez em 2011 voltei em 2013 e ai fui ate à Mauritânia, depois voltei em 2015...e um dia destes volto la outra vez Fixe Fixe
avatar
Joao Luis
Já dorme com a moto!
Já dorme com a moto!


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Rambo em Qui Jul 21 2016, 00:55

Confirma-se! As fotos do deserto são sem dúvida as mais bonitas.. (um lugar de facto Exótico).
avatar
Rambo
A tirar a carta
A tirar a carta


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por mytic em Qui Jul 21 2016, 02:11

Mas que grande aventura! boa cronica   Mérito
avatar
mytic
A tirar a carta
A tirar a carta


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Ter Jul 26 2016, 19:20

@Joao Luis escreveu:Viva, já vi que a experiência teve momentos menos agradáveis pois deixe-me dizer-lhe que a segunda vez que estive em Marrocos mas que fui mesmo ate Marraquexe   foi em 2003, tive uma experiência de tal maneira negativa que jurei   nunca mais la voltar....e não fui durante 8 anos, fui ate Angola de Mota, andei por muitos países do médio oriente mas Marrocos é que nunca mais, os amigos interrogavam-me e interrogavam-se o porquê desta minha decisão ate que um dia em 2011 estava a jantar em Lisboa e tinha uma semana de ferias sem destino, conversa puxa conversa e mais isto e mais aquilo e era meia noite sai disparado  de Lisboa eram 4h da tarde estava em Marraquexe...enfrentei os meus medos e fobias, basicamente esqueci o que se tinha passado, ou por outro lado, pensei em não generalizar o que se tinha passado comigo em 2003, e assim foi, depois desta vez em 2011 voltei em 2013 e ai fui ate à Mauritânia, depois voltei em 2015...e um dia destes volto la outra vez  Fixe Fixe

Já tinha lido a tua experiência no face Smile
Eu também tenho ideia de que preciso voltar, só não sei é quando Wink

Vamos lá então a mais uma etapa:








Acordámos antes das 04:00 e à hora combinada lá estávamos à porta do hotel.




As nossas motas estavam guardadas dentro de uma mini arrecadação a céu aberto, mas fechadas a 7 chaves e "guardadas" por um guarda que tive que ir acordar, pois tinha deixado o tripé na OLga.




O Guia chegou. Não fixei o nome, mas tenho ideia que era mais um Hassan, mas por esta altura já tínhamos adoptado a fórmula do companheiros Geraldescity do Rocking Abroad e chamávamos "Mohameds" a todos os marroquinos, apesar de em boa verdade, não nos ter calhado nenhum Mohamed.




Arrancámos pela noite dentro, e estava uma noite bem escura! ainda andámos alguns km em estrada, mas a maior parte do trajecto já foi feito fora de estrada, na mais completa escuridão, aos saltos e solavancos. Confesso que foi um bocado assustador :-O




Uma coisa tenho que dizer em abono da verdade! senti-me desconfortável com muita coisa em Marrocos, mas nunca me senti verdadeiramente insegura, coisa que infelizmente não posso dizer quando ando de noite na rua, na minha cidade...




Mas admito que enquanto ia aos saltos dentro de um jeep desconhecido, conduzido no meio da escuridão, por um completo estranho num país tão diferente, me passou pela cabeça que talvez não fosse a coisa mais sensata que fiz na vida. A verdade é que foi apenas um pensamento fugaz, pois tal como já tinha lido em blogues e fóruns, não há registo de situações de perigo por aquelas bandas, a não ser o perigo de ser levado a comprar alguma coisa que não  se quer por um preço exorbitante ;-)




Finalmente chegamos a um edifício, um Kasbah no meio do deserto, e o "guia" disse-nos para sentar um pouco a descansar.



 photo Marrocos 805_zpsid98aijn.jpg






Aproveitámos para fazer as honras ;-)



 photo Marrocos 810_zpstjrtkgtp.jpg




Lembro que o combinado com o recepcionista era que o guia não nos tentaria vender nada!...




E ele "cumpriu"...




Mas claro que mal nos deixou no Kasbah, desapareceu, e por "milagre", apareceram outros "Mohameds" que nos tentaram impingir uma viagem de camelo nas dunas...




Recusámos, alegando que o marido tinha medo de camelos, e resultou ;-)




O guia reapareceu passado um bocado, e não gostou muito que tivéssemos recusado os camelos, porque isso o obrigava a levar-nos a pé até ás dunas.


Mas lá nos encaminhou até ao início das dunas, e indicou-nos que bastava subir e andar um bocado na "crista" das dunas até encontrar um local que nos agradasse para ficar à espera.




Assim fizemos!




Com os telemóveis a servir de lanterna, lá fomos galgando as dunas, e "abancámos" na crista de uma duna à espera.




Algum tempo depois, começa no horizonte a surgir uma muito ténue luz...



 photo Marrocos 822_zpsiqoottyw.jpg




Fomos "brincando" por ali, e ouvíamos vozes á distância, mas naquela altura eram apenas vozes, pois não se via absolutamente nada.



 photo Marrocos 831_zpsqe2fqomv.jpg



 photo Marrocos 832_zpsb5vndedl.jpg



 photo Marrocos 849_zpsthjb356h.jpg






 photo Marrocos 862_zpstx6bxvzr.jpg




E há hora marcada, ele rompe!





 photo Marrocos 941_zpsfe5rl3zr.jpg



 photo Marrocos 967_zpslsgwd3sg.jpg



 photo Marrocos 968_zpsepyugv4p.jpg





Lindo!





À nossa volta, as dunas começam a ganhar forma, e um colorido que nunca tinha visto em lado nenhum!





 photo Marrocos 889_zpszobisyxd.jpg





 photo Marrocos 975_zpsc8epmp8l.jpg






Começam a vislumbrar-se silhuetas ao longe de pessoas e de camelos.



 photo Marrocos 872_zpsiuosnyxv.jpg



 photo Marrocos 881_zpsvthnz7js.jpg




E de dentro uma pequena toca na areia, surge um habitante do deserto!




 photo Marrocos 895_zps90lyokeg.jpg








 photo Marrocos 970_zpsccqgtjoq.jpg



 photo Marrocos 988_zps8enpkfej.jpg






Andámos à nossa vontade, a apreciar a maravilha das cores, e a brincar um pouco com as sombras...



 photo Marrocos 1001_zps5pv0sxxl.jpg



 photo Marrocos 1003_zpspkwrrlyf.jpg



 photo Marrocos 1008_zpsevgdxdgi.jpg






Os meus amigos Marques, habituais companheiros de viagem estão sempre no nosso pensamento, e como a Paulinha desta vez não foi, fiz por ela uma brincadeira que sei que ela adora: descer a duna a rebolar :-)



 photo Marrocos 1009_zpstttu8ris.jpg



 photo Marrocos 1011_zpskkphrdpz.jpg



 photo Marrocos 1016_zpsgk1utz0l.jpg






Os turistas que compraram o passeio de camelo, depois do passeio tinham o ritual de chá, que era servido em cima de um tapete, ali mesmo, no deserto, e claro que entretanto, lhes vendiam tapetes ;-)




É incontornável!



 photo Marrocos 1022_zps6yneyzrb.jpg



 photo Marrocos 1028_zpsgjm1mqbv.jpg






Nós regressámos ao Kasbah onde o nosso guia nos aguardava, e arrancámos pelo meio do deserto, novamente aos solavancos.





 photo Marrocos 1038_zpseuunfqey.jpg






De vez em quando lá se encontrava um Kasbah ou  uma Riad, normalmente a funcionar como hotel para turistas TT.








 photo Marrocos 1039_zpsgazt0yn1.jpg



 photo Marrocos 1051_zpsnue1yqym.jpg



 photo Marrocos 1052_zpsdt58ackg.jpg






E no meio de nada, também iam aparecendo poços de água, quase sempre com uma mulher a abastecer-se.



 photo Marrocos 1059_zps7umzofuc.jpg






A dado momento, o Jeep para, junto de um poço, e o guia mostra-nos como é a água que se bebe por aquelas paragens.



 photo Marrocos 1063_zpsgimw0ysh.jpg






..."por vezes até comemos girinos"...




Ele bebeu, mas recomendou-nos que não fizéssemos o mesmo, como se fosse necessário dizer alguma coisa :-O



 photo Marrocos 1064_zpsyw8dgk5v.jpg








A água seguia por um canal, que depois do poço se encaminhava a céu aberto para dentro de um oásis, onde funcionava como canal de rega, e seguimos o guia para dentro do palmeiral.








 photo Marrocos 1072_zpsls8lttyu.jpg






Mais á frente, num desses  canais de rega, um outro habitante, este um pouco maior:



 photo Marrocos 1071_zpsryeyyel2.jpg




Alí cultivava-se tudo, desde as amêndoas, passando pelo fruto do argan, até ás couves, iguaizinhas ás que cultivo no meu quintal, só que aqui têm que estar protegidas do sol escaldante por palmeiras, e das tempestades de areia por barreiras feitas de canas.




 photo Marrocos 1074_zps1ww34awl.jpg



 photo Marrocos 1075_zpsnw7s5urz.jpg



 photo Marrocos 1079_zpsssy86rec.jpg



 photo Marrocos 1093_zpsjagtkucn.jpg






Mais à frente, novamente no meio de nada, uma casa!


Para o jeep, sai do mesmo e do porta bagagem tira um garrafão de água e manda-nos sair. 






 photo Marrocos 1112_zpsw4ayvtwq.jpg




Claro que comentei logo com o marido o que seria que nos iriam tentar vender!...



 photo Marrocos 1096_zpstgp0wwqv.jpg




Com a água do garrafão, molhou umas pedras que havia por lá, revelando uma infinidade de fósseis!



 photo Marrocos 1097_zpsb7ntgmm8.jpg



 photo Marrocos 1101_zpswmbgjh8h.jpg



 photo Marrocos 1106_zpsxjuat0ud.jpg



 photo Marrocos 1108_zpsprkb4w1b.jpg



 photo Marrocos 1110_zpscthz5zrk.jpg



 photo Marrocos 1111_zpstkdan5eg.jpg





Em volta da casa havia claros vestígios de que alguém ali trabalhava, desenterrando os fósseis, e quase de certeza que a paragem era para alguém nos vender uns quantos, só que o vendedor não estava, e o guia andava de um lado para o outro, à procura, e a falar ao telefone.





Desapareceu para trás da casa e ficou por lá um bom bocado, e quando voltou, deu para perceber o que tinha estado a fazer,... e não era Marlboro ;-)


 photo Marrocos 1113_zps7owviuby.jpg



 photo Marrocos 1114_zpsompjfwug.jpg




Claramente o vendedor não estava por perto, e pedi-lhe para regressar, alegando que estava cansada, porque o sol já ia alto, e ali no meio de nada já custava a suportar.



 photo Marrocos 1115_zpsqlxowvl0.jpg




Regressámos a Arfoud, mas ainda antes de entrar na cidade, apanhei um valente susto, pois subitamente o jeep começa a subir por uma colina onde não havia estrada, e foi realmente assustador, apesar de ser visível que o condutor sabia o que fazia e estava acostumado a fazer aquilo.




Valeu a pena!



 photo Marrocos 1119_zpsa4qepoyw.jpg



 photo Marrocos 1121_zpsco9oelim.jpg



 photo Marrocos 1131_zpsoh88xlaj.jpg




Em Marrocos encontra-se pessoas nos sítios mais incríveis



 photo Marrocos 1134_zpsq9r2nxwx.jpg




Chegámos ao hotel e fiz uma terrível descoberta de que já tinha suspeitas! - tinha-me esquecido do fato de banho!...



 photo Marrocos 1135_zpsle1ru4ff.jpg






Tomámos o pequeno almoço (cadê o reforço prometido na véspera?...)


Enfim... Marrocos é Marrocos ;-)






 photo Marrocos 1137_zpsib9yb900.jpg






 photo Marrocos 1143_zpsab7yumkd.jpg






Fomos dormir um pouco e depois saímos à procura de almoço, e de um fato de banho, mas há coisas mais fáceis de encontrar em Marrocos, na terra onde tudo se vende!...




 photo Marrocos 1146_zpsy606la9v.jpg



 photo Marrocos 1147_zpsnasyafxm.jpg



 photo Marrocos 1148_zpsbcmaskt6.jpg



 photo Marrocos 1150_zpsxoua4lfa.jpg




Almoçámos num pequeno restaurante, ao lado de outro pequeno restaurante onde por coincidência acabámos por jantar nesse dia.




É que à hora de jantar, fartos de comer sempre as mesmas coisas, perguntámos ao "guarda" das motas onde poderíamos jantar em condições, e claro que ele tinha um amigo,...


Descreveu o sítio, e referiu que à porta estaria o carro do amigo, que era o único carro preto de toda a cidade, e quando estava a tentar telefonar para o amigo, pára junto de nós um carro preto, abre-se o vidro, e o condutor cumprimenta o guarda!


Era o amigo!... 


Acho que  foi mesmo coincidência, mas,... Marrocos têm tantas coincidências destas, que é impossível não pensar...


Apanhámos boleia do dono do restaurante, e jantámos exactamente a mesma coisa que tínhamos almoçado!



 photo Marrocos 1153_zpspp2l2zg6.jpg

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por nunomsp em Qua Jul 27 2016, 15:32


Essas fotos no deserto espetaculares. Valem o tormento dos pedinchões! Smile
avatar
nunomsp
Zero à direita
Zero à direita


http://www.nuno-pereira.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qui Jul 28 2016, 21:37

@nunomsp escreveu:
Essas fotos no deserto espetaculares. Valem o tormento dos pedinchões! Smile

Sem dúvida!
As paisagens são fabulosas, e valem a viagem só por si, e não é só o deserto, mas também da montanha, as cascatas, os desfiladeiros, os souks, as medinas, a cultura tão diferente, enfim, é um país que vale a pena conhecer.

Mas continuando:



Deixámos Arfoud, e pelo caminho fomos vendo acampamentos Berbere ao longo da estrada, e junto de cada acampamento, viam-se montinhos de areia, com paus espetados.






 photo Marrocos 1186_zpsees30cst.jpg






Depois de muitos montinhos, começámos a notar que alguns tinham um balde pendurado, e aí fez-se luz! eram poços de água!




É estranho porque estão todos junto uns dos outros, e não se entende o porquê de haver tantos, mas não há dúvida! são poços de água.



 photo Marrocos 1190_zpsrxeoab3q.jpg




Também se vai vendo ao longo da estrada aquelas esteiras de canas para evitar a invasão das areias.



 photo Marrocos 1192_zpsof9emptj.jpg




E nos montes, tudo feito com pedrinhas brancas vêm-se inscrições deste tipo:



 photo Marrocos 1214_zps4cthdnqb.jpg




E de vez em quando, no meio de nada, esta espécie de portas. Imagino que sirvam para delimitar o território das províncias.



 photo Marrocos 1223_zpsgvsoly2s.jpg




Ao longe, avistava-se o Atlas, ainda coberto de neve.



 photo Marrocos 1233_zpsvwffeweh.jpg




E ao lado da estrada, verdadeiras "plantações" de sacos de plástico!


São milhares de sacos que vêm trazidos pelo vento, e acabam presos na vegetação rasteira e nas pedras, em pleno deserto, onde nada existe.



 photo Marrocos 1240_zpsevdkc3dt.jpg




E mais um oásis, com uma cidade junto dele.



 photo Marrocos 1243_zpsypypabgx.jpg




Mais uma vez, a estrada desenvolve-se ao longo do palmeiral.



 photo Marrocos 1260_zpsjwlr4ani.jpg




A construção por aqui é maioritariamente em adobe, e confunde-se com a paisagem.



 photo Marrocos 1262_zpseex5islw.jpg




O programa do dia envolvia muitos km, pois pretendíamos espreitar as 2 gargantas.




Primeiro a do Todra:



 photo Marrocos 1266_zpsoh4etaul.jpg



 photo Marrocos 1267_zpsq9ey6xk1.jpg




Marrocos está em obras, e por aqui também não era excepção, e lá tivemos que fazer mais um pouco de todo o terreno. Adoptei o "modo de segurança" na SYM, e lá fomos.


Na semana anterior tinha chovido muito, e notava-se em muitos sítios que os rios tinham transbordado e destruído as estradas. Aliás, notava-se que não estão preparados para grandes chuvadas, pois a maioria das estradas que fizemos em que havia rios para atravessar, as estradas simplesmente passavam por dentro do leito do rio, em vez de ter pontes como é normal ver pela Europa.




Era o caso desta estrada, que passava por dentro do rio, mas onde se via claramente que o caudal tinha feito estragos no alcatrão,



 photo Marrocos 1274_zpst1tdtsec.jpg



 photo Marrocos 1277_zpseqdpz6sr.jpg



 photo Marrocos 1280_zpscoqeyly2.jpg



 photo Marrocos 1281_zpsduon2lzb.jpg



 photo Marrocos 1284_zpsezduktib.jpg



 photo Marrocos 1285_zpsqr2qoobe.jpg



 photo Marrocos 1287_zpseqfwcvs0.jpg




Voltámos à estrada, e ao passar por uma povoação cheia de autocarros de turistas, decidimos parar para almoçar, com o pensamento de que se há turistas, deveria haver variedade de oferta.




Pois,... havia variedade de restaurantes, mas os pratos eram os mesmos! 


Para mim, mais uma tagine, e esta não era picante.



 photo Marrocos 1289_zps7wqydsbr.jpg




E para ele. mais uma brocheta de frango.



 photo Marrocos 1290_zpsagtilebi.jpg




No fim, mais uma tentativa com o chá que tantos gabam, mas para mim, continuou demasiado doce e enjoativo para ser realmente bom.



 photo Marrocos 1292_zpsc4aixkkn.jpg




O Atlas acompanhou-nos o dia todo.



 photo Marrocos 1300_zpsksbgkfdf.jpg



 photo Marrocos 1307_zpsw4tuwkvq.jpg




As montanhas aqui assumiam uns formatos estranhos, que pareciam brincadeiras feitas por um gigante em barro.



 photo Marrocos 1309_zps4nptl1em.jpg




Ao longo da estrada, encontra-se sempre gente com grandes cargas ás costas.



 photo Marrocos 1313_zpsupw7jpq7.jpg




E subimos as curvinhas do Dadés.



 photo Marrocos 1320_zpsxsqpbrsf.jpg




As gargantas ou desfiladeiros são sempre impressionantes, e já vi algumas nos picos da Europa que me deixaram de boca aberta, mas aqui é diferente! é deserto, e não há nada a não ser terra e rocha amarelada.



 photo Marrocos 1327_zpsxuydrvmi.jpg



 photo Marrocos 1328_zpstyab3rh4.jpg



 photo Marrocos 1330_zpsmg1shbal.jpg




Mais uma estrada em obras, mais uns km em "modo de segurança".



 photo Marrocos 1339_zpskxabxyjf.jpg




Uma vista oposta à que é normal ver-se da estrada, onde se vê o ponto de onde normalmente se tiram as fotos:



 photo Marrocos 1341_zpsz6wancee.jpg




Vê-se muitas construções em adobe em ruínas. neste tipo de construção, a simples falta de manutenção acaba com elas, pois as chuvas e os ventos vão provocando a erosão natural dos materiais - lama e palha.



 photo Marrocos 1349_zpsaboxfive.jpg




Numa das povoações onde passámos havia festa, e durante alguns km fomos vendo rapazes à beira da estrada a vender corações cor de rosa.



 photo Marrocos 1353_zpsqkhcvmac.jpg




Mais uma "paragem técnica" e aqui pode ver-se como a estrada simplesmente atravessa o leito do rio.



 photo Marrocos 1355_zpsw36ycw0q.jpg




E ao longe, o Atlas a "guardar-nos"



 photo Marrocos 1357_zpsvuorijwt.jpg




Chegámos tarde a Ouarzazate, e não foi fácil arranjar onde comer.


O melhor que conseguimos foi uma omelete de queijo, pão e azeitonas, e por acaso estava bem boa ;-)



 photo Marrocos 1370_zps5z5ulpxv.jpg

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qua Ago 03 2016, 21:58

Em Ouarzazate:









Nesta zona, continua a ser o veículo mais utilizado pelos marroquinos!




Enquanto tomamos o pequeno almoço na esplanada do hotel, vamo-los vendo passar com cargas que assustam só de ver, e vêm-se famílias inteiras, com os filhos intercalados entre os adultos, que nos deixa a pensar que a ideia de segurança ali é muito diferente da nossa.










 photo Marrocos 1372_zpstyvgukpi.jpg






 photo Marrocos 1508_zpscd2ph6fv.jpg












Saímos sem pressa, e andámos a passear livremente pela cidade, à procura da medina.


Encontrámos um centro comercial marroquino, parecido a com alguns dos mais antigos que temos por cá.












 photo Marrocos 1380_zpsoccpdy3u.jpg












Conhecemos o largo da povoação,  e a rua onde se concentram as lojas.


 




 photo Marrocos 1382_zpsjixwumsu.jpg














 photo Marrocos 1394_zpseilgj54z.jpg










E chegámos à muralha da medina, mas em vez de entrar, fomos espreitar um Kasbah.




Enquanto estávamos a olhar, a tentar perceber se se pagava, somos logo rodeados por uma série de "...guias", e um deles dá-nos logo o preço com e sem guia.




Aceitámos o preço com guia, e ele mesmo comprou os bilhetes.












 photo Marrocos 1387_zps1ojyq7dm.jpg














Entrámos no Kasbah, e por diversas vezes me pareceu que estava em Coimbra, no portugal dos pequeninos, e o guia perante a nossa perplexidade, explicava que os berbere eram muito pequenos.










 photo Marrocos 1475_zpsrqzedcc5.jpg














 photo Marrocos 1404_zpsrinwcj31.jpg












 photo Marrocos 1409_zpsnwwldpjf.jpg












 photo Marrocos 1414_zpscvqquaqx.jpg










 photo Marrocos 1415_zpswspvgusg.jpg










 photo Marrocos 1423_zpsmsimsvvw.jpg










 photo Marrocos 1427_zpsnidakhug.jpg










Também não fixei o nome dele, mas posso garantir que não era Mohamed ;-)










 photo Marrocos 1429_zps4w1tz4it.jpg










 photo Marrocos 1431_zpsctxrq3pt.jpg










 photo Marrocos 1433_zpsourfuhh7.jpg










Era simpático como todos, e explicava tudo numa mistura de espanglofancês que por vezes era difícil de entender, e não se podia chegar muito perto dele, porque estava calor, e o cheiro do tabaco misturava-se com a falta de banho :-O


 






 photo Marrocos 1441_zpstzpni82f.jpg










 photo Marrocos 1445_zpskfqmzozy.jpg










 photo Marrocos 1449_zpstkqozapr.jpg










 photo Marrocos 1453_zpsejfxx2th.jpg










 photo Marrocos 1455_zpszjgjfqic.jpg










 photo Marrocos 1456_zpscu2lvmcd.jpg










 photo Marrocos 1460_zpszaqjekck.jpg










 photo Marrocos 1462_zpsvgedlucr.jpg










Nas paredes, pedaços do Alcorão:










 photo Marrocos 1465_zpst1rw7nqa.jpg










Das janelas avistava-se um pouco do oásis, e tínhamos visto no mapa que havia um lago, mas ele explicou-nos que nesta altura estava seco, pelo que abandonámos a ideia de o ir espreitar.










 photo Marrocos 1466_zpsxpfljbc6.jpg










 photo Marrocos 1467_zpstzgpyhw0.jpg










 photo Marrocos 1469_zps25rex7o5.jpg










O rapaz que se vê ao fundo era um artesão berbere, que além dos quadros que se vê expostos, estava a fazer (e a vender) fios e pulseiras muito bonitos, e decidi comprar um, quanto mais não fosse porque foi o primeiro marroquino que não tentou vender-me nada!


O guia não achou muita graça, certamente porque nesta venda não tinha comissão...










 photo Marrocos 1472_zpsqivl2ilm.jpg










A visita incluía uma passagem pela medina, por isso saímos do Kasbah, mas antes de nos embrenharmos no labirinto da medina, lá tivemos que passar pela loja onde ele tinha "propina"...










 photo Marrocos 1482_zpspzmb8duv.jpg








 photo Marrocos 1485_zpsucivx7bc.jpg








 photo Marrocos 1486_zpscvqpnxaa.jpg








 photo Marrocos 1489_zpsaggun3hp.jpg








Por acaso era uma loja muito bonita, mas desta vez conseguimos não nos demorar muito! valeu a experiência entretanto adquirida, e enquanto o marido respondia com uma "versão adaptada" da nossa realidade às perguntas dos vendedores:


"filhos,... sim, temos 6"... "viemos de mota, e não há espaço para nada"... "nem tenho dinheiro,... olha só estes 10 euritos e têm que dar para o almoço"...


Eu lembrei-me que sou asmática, e alérgica a tapetes, o que até é mesmo verdade, mas claro que não de forma tão dramática como a que demonstrei enquanto muito aflita procurava na mala a bomba do ventilan...




Fiz uma nota mental para mim mesma: não esquecer de colocar na mala a bomba para ocasiões destas.








 photo Marrocos 1492_zps8zkf3oxf.jpg






 photo Marrocos 1496_zpsxkbyr3sb.jpg






 photo Marrocos 1497_zpsdgrx47ho.jpg






 photo Marrocos 1498_zpsqsaodb0k.jpg






 photo Marrocos 1499_zps69rexjmb.jpg






Outra loja onde o nosso guia tinha comissão:






 photo Marrocos 1501_zpsoou7j8wh.jpg






 photo Marrocos 1502_zps5kwvnelv.jpg






Estendal bem original:




 photo Marrocos 1503_zpsj2k94m2g.jpg






A construção é maioritariamente em adobe.


Aliás, o kasbah que visitámos era também todo ele construído em adobe, e por falta de manutenção tinha já grandes áreas destruídas mas a maioria tinha sido reconstruída.






 photo Marrocos 1504_zpsawfepfsp.jpg






Era hora de almoço, e o guia tentou impingir-nos um restaurante, mas era caríssimo, e recorrendo a mais um estratagema, fruto da experiência entretanto adquirida, lembrei-me de perguntar se tinham wifi!


Não tinham, e dizendo que precisávamos mesmo de comunicar, fomos à procura de outro local para almoçar.


Lá saiu mais uma tagine de legumes para mim, e uma brocheta de frango para ele...




Depois de almoço fomos visitar um dos estúdios de cinema de Ouarzazate.


Existem dois, e são mesmo ao pé um do outro o CLA e o ATLAS, mas o calor era tanto que decidimos que um seria suficiente, e optámos pelo ATLAS, ou melhor, o taxista que nos levou até lá, escolheu por nós.




Aqui se rodaram filmes famosos como a múmia ou a missão impossível.






 photo Marrocos 1509_zpsdyrhzvel.jpg






 photo Marrocos 1510_zpsimhzyjcn.jpg






 photo Marrocos 1511_zpszqnl8bz6.jpg






 photo Marrocos 1512_zps5mzrfnpu.jpg






 photo Marrocos 1515_zpsiqplsgu3.jpg






 photo Marrocos 1519_zps1m1kybb1.jpg






Pela frente parece mesmo uma aldeia do oeste, dos filmes de cowboys, mas pela parte de trás...




Aqui o guia estava incluído no preço do bilhete, calhou-nos mais um Hassan, e aqui não havia vendedores :-)






 photo Marrocos 1523_zpsyyphraac.jpg






Parece os nossos políticos! 


É só fachada!...




 photo Marrocos 1521_zpssppqkztz.jpg




 photo Marrocos 1531_zpsrtbdfxcr.jpg




É tudo falso! o que não é de esferovite, é de fibra de vidro, ou de papel, como no caso abaixo:




 photo Marrocos 1534_zps3lfgf8cp.jpg











 photo Marrocos 1535_zpsm9bskis2.jpg






 photo Marrocos 1538_zpsqxlytnmx.jpg






 photo Marrocos 1547_zpsnfhoslve.jpg






 photo Marrocos 1553_zpsrgsn7c5g.jpg






 photo Marrocos 1555_zpsxbhi73n6.jpg






 photo Marrocos 1556_zps2yfksnzr.jpg






 photo Marrocos 1559_zpsnog9yhng.jpg






 photo Marrocos 1561_zps3ngwmnlo.jpg






 photo Marrocos 1565_zpsgqryocms.jpg






Há muito material em restauro, não só para as visitas dos turistas, mas também porque os estúdios estão activos, e continuam a servir de cenário para filmes novos.




 photo Marrocos 1568_zpss3gwwjhf.jpg






A visão traseira:




 photo Marrocos 1569_zpsi7rqynho.jpg






 photo Marrocos 1576_zpspd8enpza.jpg






 photo Marrocos 1577_zpsgexiu2po.jpg






Até as teias de aranha são falsas :-)


 




 photo Marrocos 1586_zps2emodg3d.jpg






Á noite fomos jantar ao largo da cidade, e havia festa! 




Pedimos uma pizza, na ânsia de comer algo mais europeu, mas pizza com ingredientes marroquinos é um desconsolo.






 photo Marrocos 1598_zpsbmdg0hrp.jpg






 photo Marrocos 1611_zpse7vneqjk.jpg




Depois de jantar fomos dar uma volta pelas lojas, pois com o medo que ganhamos de pedir preços, ainda não tínhamos comprado quase nada, e eu tinha lido na página da Rita Leitão, que foi mais uma das minhas "bíblias" nesta viagem, que havia uma loja, chamada Rabab que tinha os preços marcados, e fomos à procura.





 photo Marrocos 1591_zpshnnlxate.jpg






 photo Marrocos 1592_zps4mrhco7r.jpg






 photo Marrocos 1593_zpshsfz8eat.jpg






 photo Marrocos 1594_zpsztbjgyji.jpg






 photo Marrocos 1595_zpsvyrpjqe6.jpg






 photo Marrocos 1596_zps2r7awn2l.jpg






 photo Marrocos 1597_zpsx3dwrwji.jpg









 photo Marrocos 1615_zpsmcclsjrf.jpg






 photo Marrocos 1617_zps0z2qv7ky.jpg






 photo Marrocos 1622_zpsoy0vt6tb.jpg






E cá está! era verdade :-)




 photo Marrocos 1623_zpstdybx3ku.jpg






Voltamos ao hotel. 


Este era engraçado. também coincidiu com a escolha do MSP na viagem que nos serviu de guia, e embora o quarto não fosse fantástico, e o duche servido em água fria, tinha boas áreas para planeamento em grupo de viagens.




 photo Marrocos 1587_zpsf7l81b3e.jpg




E o estacionamento das motas era original! desviou-se umas quantas mesas da esplanada, e voilá! 




 photo Marrocos 1625_zps0yjs1wvn.jpg






 photo Marrocos 1626_zps6ult2sdu.jpg





________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Luís Azevedo em Qua Ago 03 2016, 22:24

Conheço esse porta-chaves Cool
Mérito pelo sofrimento
avatar
Luís Azevedo
Ainda é motorato!
Ainda é motorato!


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Ter Ago 09 2016, 19:35

@Luís Azevedo escreveu:Conheço esse porta-chaves Cool
Mérito pelo sofrimento

Very Happy

E mais um dia de viagem:


Deixámos Ouarzazate, e tínhamos pela frente um dia cheio!




À beira da estrada, "lojas" de todo o tipo,...




 photo 1 1_zpsaaiw6gvh.jpg






Camelos,...



 photo 1 2_zpstyveg6i0.jpg






Fomos espreitar Ait Ben Haddou, que serviu de cenário a alguns filmes bem conhecidos como Lawrence da Arábia, A Múmia, Gladiador, etc.


É uma povoação engraçada, como tantas outras que passamos, que se confunde com a paisagem, porque é construída em adobe, que assume sempre as cores do locais, porque o material (lama e palha) são recolhidos no próprio local de construção.


Está mais ou menos abandonada, e já só lá vivem meia dúzia de famílias, mas continua a ser muito bonita, e diferente, porque basicamente não há casas, mas apenas kasbahs, que são uma espécie de pequenas fortalezas. 


Quando nos dirigíamos para lá aconteceu uma coisa engraçada: A estrada, como tantas outras, estava em muito mau estado, a dado momento parámos para eu tirar fotos, e ía a passar um rapaz a quem o marido aproveitou para perguntar se valia a pena continuar. O rapaz reconheceu-nos logo, pois na véspera tínhamos lhe comprado uma mini tagine para trazer de recordação!


Ele trabalhava de dia a vender na berma da estrada, e á noite trabalhava numa pequena loja em Ouarzazate. Recomendou-nos a não continuar, porque o que havia para ver estava ali, e a estrada piorava muito, não sendo recomendável para as nossas motas, e quando um marroquino nos diz isto,... eles passam em todo o lado com as scooters,... por isso achamos melhor confiar nele ;-)



 photo Marrocos 1637_edited_zpsz8ohwvfx.jpg



 photo 1 11_zpsm7nwymqo.jpg



 photo 1 12_zps5074xg60.jpg



 photo 1 23_zpstbjihhjk.jpg



 photo 1 26_zps0qhvvfnl.jpg




Uma pilha de "tijolos" pronta para construir ou reconstruir :-)



 photo 1 27_zpsgwlqafju.jpg



 photo 1 28_zpsbwabovca.jpg



 photo 1 29_zpsox2umbke.jpg



 photo 1 30_zpskdhndpit.jpg




Um dos locais de extracção da matéria prima para a construção:



 photo 1 31_zpsuvrhopzw.jpg




E claro, pelas bermas íamos passando por grandes cargas...




 photo 1 36_zpsnjzhumim.jpg




O caminho era duro :-O



 photo 1 39_zpsqn7lmnr5.jpg



 photo 1 42_zpsdeprrzfj.jpg



 photo 1 49_zpsddsvis7r.jpg



 photo 1 52_zpscglfyicp.jpg




A seguir, começámos a subir o Atlas!


Parámos para um chichi e um café no Col du Trichka que fica a 2260 metros de altitude, no local onde quase todos os viajantes param, e estava cheio de holandeses de auto-caravana!




 photo 1 70_zpszku7ksrj.jpg




Fomos logo cercados de marroquinos das lojas, e apesar de até estar avisada, não tinha levado nada para oferecer.


Este em particular foi muito insistente, e conseguiu arrancar ao marido a única caneta que ele tinha, com a promessa de lhe dar alguma coisa em troca, e só assim nos largou para podermos subir ao café e usar o wc!




 photo 1 75_zpszqivpq8k.jpg




O café e as diversas bebidas à base de café eram excelentes em todo o lado!



 photo 1 60_zpsp1qmgvgv.jpg



 photo 1 61_zpsydnqvis9.jpg



 photo 1 62_zpsocsalaxd.jpg




O Horácio tinha lá deixado um tóculante do Moto clube de Albufeira, mas só conseguimos encontrar o de Loulé.




 photo 1 68_zpsp8hdao1c.jpg




Claro que lá deixámos o nosso!



 photo 1 64_zpsrlpva070.jpg




Fomos cobrar a troca da caneta, mas já se tinha esquecido, e não queria dar nada! A muito custo, lá nos deu uma pedrita...





 photo 1 72_zpsumg6nb7c.jpg



 photo 1 74_zpsc1slxv7i.jpg




Seguimos viagem.




Mais "lojas"...



 photo 1 76_zpshlxpcqyf.jpg




Mais cargas impossíveis...



 photo 1 77_zpsmckvzt04.jpg




Mais "alcatrão de boa qualidade"...



 photo 1 79_zpsd6sizzhe.jpg




A D. Paula Santos, que é uma agente de viagens que já organizou dezenas de viagens por Marrocos, avisou-nos que com motas costuma fazer ao contrário do que nós fizemos, porque com as motas não arrisca fazer a parte em obras a descer mas nós teríamos que inverter todo trajecto, e decidimos não mudar nada, pelo que fizemos a descida do Atlas pelo lado em obras!



 photo 1 81_zpshms2pjkz.jpg



 photo 1 84_zpsl8a3yznt.jpg



 photo 1 86_zpsxso27iva.jpg



 photo 1 88_zpsojz7sedf.jpg



 photo 1 94_zpsu6th9svz.jpg



 photo 1 96_zpstw4vihgp.jpg



 photo 1 99_zps1y2yuver.jpg




Foi uma boa injecção de adrenalina, e a OLga veio quase sempre em "modo de segurança" mas correu bem e foi muito divertido!.



 photo 1 100_zpsspl2ddro.jpg



 photo 1 103_zps3ikhzwrp.jpg




e lá vinha mais uma carga...



 photo 1 104_zpsyefpcwp6.jpg




E mais uma povoação que se confunde com a paisagem...



 photo 1 107_zps6fqvjmyp.jpg




 photo 1 109_zpsbxqdg4j1.jpg



 photo 1 110_zpsdopxdaxi.jpg




Parámos para almoçar num local onde aparentemente também muitos viajantes param, pois os tóculantes eram muitos!




 photo 1 134_zpspwcp939f.jpg



 photo 1 121_zpsynvexlc0.jpg




Tinha uma vista fabulosa!



 photo 1 123_zps7cvcld85.jpg




Variámos a ementa... pão, azeitonas e omeletes!



 photo 1 128_zpsxbcpsv5f.jpg




E juntámos mais um tóculante ao que já lá estavam.



 photo 1 131_zpsewowgvzc.jpg



 photo 1 135_zpsr7q0ugzu.jpg




A chegada a Marraquexe foi um pouco confusa!


Apesar de até nem ter razão para recear, a verdade é que não me atrevi a entrar na cidade mais comercial de Marrocos com o telemóvel montado na mota, e por isso andámos ás voltas, no meio da confusão e das obras, e acabamos mesmo por entrar inadvertidamente na medina, onde não é suposto circularem veículos a motor, mas onde todos os veículos que cabem, entram!





________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por jacare em Ter Ago 09 2016, 22:11

Muito bom!
Excelente crónica ilustrada por belas fotos.
Parabéns.
Em relação aos vendedores em todo o canto e esquina é normal em Africa e na Asia de um modo geral; mas não há que chegue à India. Se a experiência em Marrocos foi "traumática", não queriam experimentar a India

________________________
"A sorte protege os audazes"
avatar
jacare
Zero à direita
Zero à direita


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qua Ago 10 2016, 21:10

@jacare escreveu:Muito bom!
Excelente crónica ilustrada por belas fotos.
Parabéns.
Em relação aos vendedores em todo o canto e esquina é normal em Africa e na Asia de um modo geral; mas não há que chegue à India. Se a experiência em Marrocos foi "traumática", não queriam experimentar a India

Brigado Smile

Mais um bocadinho:


Continuava sem fato de banho, e se estava calor quando chegámos, por isso a primeira coisa que fizemos foi procurar um shopping, pois se não conseguisse comprar um fato de banho em Marraquexe, algo me dizia que não o encontraria em nenhuma outra parte de Marrocos!


Não foi fácil, mas conseguimos, e acabámos o dia num shopping super ocidental, a tomar um capuccino e um café especial no Starbucks ;-)





No dia seguinte, a ideia era sair cedo, e conhecer a medina, mas o dia começou com um acidente! 


Logo na primeira noite em Tanger, uma das hastes dos meus óculos partiu-se, e embora tenhamos conseguido remediar com super cola 3, obviamente que tinha receio de ficar sem óculos a meio da viagem, e como tinha levado bastantes lentes de contacto diárias, optei por andar sempre com lentes, mas nesse dia quando coloquei a lente esquerda, senti mediamente um enorme desconforto e tirei-a logo de seguida. Infelizmente não é a primeira lente defeituosa que apanho, e ao tirá-las acontece sempre o mesmo: rasga-se!


Consegui tirar a parte maior da lente, mas ficou a faltar um pedacinho, e uma hora depois ainda andávamos os 2 a escarafunchar no olho à procura.


Acabei por desistir, e saímos de casa com ideia que se o desconforto não desaparecesse, lá teria que ir descobrir como funciona a saúde em Marrocos!...





Com isto tudo já saímos um  pouco tarde, e decidimos apanhar um táxi para a medina, só que por esta altura já estávamos menos "virgens" nestas coisas, e antes de sair perguntámos ao recepcionista quanto é que deveria custar.

Ainda bem que o fizemos, pois logo á porta do hotel estava um grand taxi, com um daqueles super prestáveis marroquinos que se ofereceu logo para nos mostrar a medina e tudo o que havia para ver em Marraquexe... pela módica quantia de 500 dirhams!...

Declinámos dizendo que apenas pretendíamos ir até uma porta da medina, para o que bastaria um petit taxi, só que como sempre ele não nos largava. Tive que fazer de "mulher berebere" como eles me chamavam, agarrar no marido pelo braço arrancar dizendo que íamos a pé, e depois de ganharmos uma distância aceitável, fizemos sinal a um dos milhentos petit taxis que circulavam na avenida!

Pagámos 15 dirhams, cerca de 1,50 €!...







 photo Marrocos 1771_zps1c87ox23.jpg





 photo Marrocos 1772_zpskbthjjl6.jpg





 photo Marrocos 1773_zpskimsuf15.jpg





 photo Marrocos 1774_zpssru1tolk.jpg





 photo Marrocos 1775_zps1cx5yf2t.jpg





 photo Marrocos 1777_zpspbiazmxn.jpg





 photo Marrocos 1778_zpskbmapbtk.jpg





 photo Marrocos 1780_zpssbpuxovs.jpg





 photo Marrocos 1782_zpsog9trbsu.jpg





Por todo o lado, nos locais por onde passámos, há sempre imensos gatos!

Dá vontade de os trazer todos para casa.





 photo Marrocos 1783_zpsxyoclpem.jpg





 photo Marrocos 1784_zpslslnk7v0.jpg





E veículos destes, também são aos montes!





 photo Marrocos 1786_zpsk6d22bpd.jpg





Um vendedor ambulante de chá:





 photo Marrocos 1788_zpsgnhat0j5.jpg





Em Marraquexe, confesso que finalmente consegui apreciar um pouco mais de Marrocos, pois aqui havia muito menos marroquinos chatos a andar atrás de nós, e conseguimos andar sozinhos por todo o lado sem ser obrigados a aceitar guias que não pretendíamos ou compras que não desejávamos.





Mas não é fácil andar por lá! por causa das obras que há em todo o lado, é difícil caminhar, e obriga a andar sempre com muita atenção, porque há cada ratoeira!...

E claro, o sempre presente cheiro a esgoto, e fumo dos veículos do século passado!





 photo Marrocos 1794_zpskbrtafpr.jpg





 photo Marrocos 1842_zpsfgszb8iv.jpg





 photo Marrocos 1843_zpszjaaryme.jpg








Na véspera tínhamos andado por aqui de mota :-O





 photo Marrocos 1806_zps7neixt5b.jpg





 photo Marrocos 1808_zpszbkuts1r.jpg





 photo Marrocos 1797_zpsccs5mjho.jpg





 photo Marrocos 1801_zpshffnzfzd.jpg








 photo Marrocos 1813_zpsr0yjbdnv.jpg





 photo Marrocos 1815_zps73b1iunh.jpg





 photo Marrocos 1817_zpspjhrzctm.jpg





 photo Marrocos 1818_zpsmrqnq2fv.jpg





 photo Marrocos 1819_zps2vip8ah4.jpg





 photo Marrocos 1820_zpsmjirqscd.jpg





 photo Marrocos 1821_zpsstcfgave.jpg





 photo Marrocos 1822_zpsrtjbeyt3.jpg





 photo Marrocos 1823_zpsdktvsnmb.jpg





 photo Marrocos 1826_zpsgfwolj5e.jpg





Dentro das medinas, não é suposto circularem veículos motorizados, mas todos os que cabem andam, e por vezes só temos tempo de saltar para dentro de uma porta e encolher a barriga!


Ainda por cima, como são ruas estreitas e algumas até cobertas, torna-se difícil respirar, principalmente para quem já tem problemas respiratórios.





 photo Marrocos 1827_zpscnihmiil.jpg





 photo Marrocos 1854_zpsfefkvszu.jpg





 photo Marrocos 1977_zpsgqc2o8hk.jpg





Eles devem seguir a regra do "se cabe, entra!"...





E depois, há os "transportes impossíveis":





 photo Marrocos 2005_zpsq6qgdtiy.jpg





Vimos cargas destas com o dobro da altura!





 photo Marrocos 1828_zps79m0q6v5.jpg





 photo Marrocos 1830_zpswywiypbn.jpg





 photo Marrocos 1834_zpslsdfwl1o.jpg





 photo Marrocos 1836_zpsbxcfzbin.jpg





 photo Marrocos 1837_zpso9d8f9cy.jpg





 photo Marrocos 1838_zps9ohrsfat.jpg





 photo Marrocos 1841_zpsh2sfhzqy.jpg





 photo Marrocos 1845_zpsvf4q3lcb.jpg





 photo Marrocos 1847_zpsomsjnbtk.jpg





 photo Marrocos 1848_zpsrrvlyxt1.jpg





 photo Marrocos 1850_zpsp0id5jwy.jpg





 photo Marrocos 1853_zpsp1jjykp3.jpg











 photo Marrocos 1855_zpsy0egqzzm.jpg





É curioso observar o contraste que existe entre o aspecto tão pouco cuidado de tudo, e a forma tão cuidadosa e trabalhada como expõem os produtos nas lojas! O colorido das bancas de venda é encantador, e só por isso, vale a pena ir a Marrocos!





Chegámos a um Kasbah e como a entrada era barata (20 dirhams), resolvemos entrar, até porque estava calor e presávamos de um pouco de sombra.


Foi boa ideia, porque era lindíssimo:





 photo Marrocos 1876_zpsqoavltjz.jpg





 photo Marrocos 1877_zpsu2rtovfj.jpg





 photo Marrocos 1881_zps3jrib4nn.jpg





 photo Marrocos 1885_zpscc9gzl3w.jpg





 photo Marrocos 1888_zpsynkclmci.jpg





 photo Marrocos 1895_zpsz5crlilq.jpg





 photo Marrocos 1903_zpswdo1vloo.jpg





 photo Marrocos 1906_zpshle7en0u.jpg





 photo Marrocos 1913_zpswjx1k4bf.jpg





 photo Marrocos 1916_zpssj9fjeyi.jpg





 photo Marrocos 1917_zpseswj3npm.jpg





 photo Marrocos 1919_zpscobiypzq.jpg





 photo Marrocos 1931_zpsek0g7814.jpg






Encontrámos por lá este simpático comedor de flores, e satisfizemos o seu apetite voraz, oferecendo-lhe vários tipos de flores, mas a preferidas dele eram mesmo as cor de rosa.






 photo Marrocos 1944_zpsrjth3ea8.jpg





 photo Marrocos 1951_zpse9bhmqq9.jpg





 photo Marrocos 1963_zps1uh3yjbg.jpg





Voltámos ao calor da medina, e fomos à procura de almoço.





 photo Marrocos 1966_zpsdicx1uls.jpg





 photo Marrocos 1968_zpsq8tj90vh.jpg





 photo Marrocos 1971_zpsfwxnuxql.jpg





 photo Marrocos 1973_zpsvvnmuppn.jpg





 photo Marrocos 1982_zpsnwnbkgu1.jpg





 photo Marrocos 1983_zpshiqd4pri.jpg





Uma sopa não sei de quê, mas que não era picante,





 photo Marrocos 1994_zpsuqveqwki.jpg





E 2 pratos gourmet, que não eram fantásticos, mas eram comestíveis, e eram uma variante ás tagines e brochetas de que por esta altura já estávamos fartos.





 photo Marrocos 1996_zpsyz3hzlfb.jpg





 photo Marrocos 2001_zpsoshmi1zk.jpg





 photo Marrocos 2002_zpsvk3qpfpq.jpg





 photo Marrocos 2004_zpsrwtspvmv.jpg





No meio do emaranhado de ruelas e lojas, parámos á porta de uma que oferecia viagens ás cascatas de Ouzud e como o marroquino da loja não veio ter connosco tentando vender a habitual "banha da cobra", resolvemos entrar e perguntar o preço, e foi uma agradável surpresa: 200 dirhams por pessoa!

Decidimos aceitar, porque tínhamos visto que era viagem para o dia inteiro, e achámos que também seria uma boa forma de evitar os "simpáticos" marroquinos que sabíamos que iríamos encontrar em Ouzud a oferecer-se para nos mostrar as cascatas.

Pagamos um sinal de metade do valor, deram-nos um recibo, e ficou combinado que nos iriam buscar ao hotel, ás 8 da manhã.

Só depois de sairmos da medina é que me lembrei que nem uma foto tinha tirado da loja, e que nunca seríamos capazes de a voltar a encontrar, mas a verdade é que apesar da forma informal como eles trabalham, nunca sentimos propriamente receio de ser verdadeiramente enganados.






 photo Marrocos 2009_zpspd10ie2z.jpg





Entramos no mercado Berbère.





 photo Marrocos 2011_zpssmkzubue.jpg





Havia dezenas de gaiolas com cagados à venda!


Queria tanto trazer um...





 photo Marrocos 2014_zps35cno6nc.jpg





 photo Marrocos 2039_zpsomiapuo6.jpg





 photo Marrocos 2015_zpstciois1w.jpg





 photo Marrocos 2019_zpsy2itkymb.jpg





 photo Marrocos 2020_zpstllpcm7u.jpg





Entretanto, junto de uma das portas assistimos a uma cena entre um polícia e um rapaz que ia a entrar na medina na sua mota. O polícia deu-lhe um valente raspanete e obrigou-o a levar a mota á mão, e a partir desse momento, todos os veículos que vimos dentro da medina andavam desligados!




 photo Marrocos 2021_zpssojujwaf.jpg





 photo Marrocos 2024_zpsh810au2j.jpg





 photo Marrocos 2026_zpsfgcwxtev.jpg





 photo Marrocos 2028_zpsxxript0y.jpg





 photo Marrocos 2031_zpsgibwgj1k.jpg





 photo Marrocos 2032_zpslh06ccrt.jpg





 photo Marrocos 2034_zpsbudjeept.jpg





 photo Marrocos 2037_zpskyziduki.jpg





Percorremos os vários Souks.





 photo Marrocos 2041_zpsjx2otcir.jpg





 photo Marrocos 2044_zps4ei4ujjt.jpg





 photo Marrocos 2045_zpsq8ts0r9k.jpg





 photo Marrocos 2048_zpsvaz0ptzk.jpg





E fomos à procura da praça mais famosa de Marrocos - a Praça Jamaa el fna





 photo Marrocos 2052_zpsmov4sawx.jpg





 photo Marrocos 2053_zpss80xof8c.jpg





 photo Marrocos 2056_zpstzfrpfeg.jpg




 photo Marrocos 2057_zpsmztqge4l.jpg




Apesar de ainda ser cedo, já havia muita gente a marcar lugar para o negócio.




 photo Marrocos 2065_zpszaqcus1s.jpg




 photo Marrocos 2066_zpsarx1zl5h.jpg




 photo Marrocos 2067_zpsclzo8b8b.jpg




Viu-me a tirar a foto, apesar de eu ser muito discreta e ter uma pequena compacta que passa despercebida, mas tem super zoom, e num ápice chegou ao pé de mim com a cobra para me colocar ao pescoço e cobrar a "propina".


Não deixei e segui caminho, deixando-o a "mimar-me" com nomes que não deviam se simpáticos em marroquino ;-)




 photo Marrocos 2069_zpsildgvz4y.jpg




Apanhámos um taxi, e regressámos ao hotel. Até este momento, podia dizer que os taxistas marroquinos eram os mais honestos que tinha conhecido até ao momento, mas nesta viagem calhou-nos um verdadeiro taxista, daqueles que enganam turistas, e pediu-nos o dobro do que todos os outros tinham pedido até ao momento!


Fiz-lhe o meu olhar Berebere, e disse que ía participar dele, e lembrei-me duma da Paula Kota, e disse-lhe que era jornalista e que ia espalhar por todo o lado o que aconteceu! ficou aflito, mas mesmo assim cobrou 20 Dirhams, que foi mais 5 do que  os outros até aí!


Por baixo do hotel havia um supermercado. Aliás, no booking dizia que o hotel tinha estacionamento gratuito, e de facto tinha,... o estacionamento do supermercado!


Fomos comprar pão e vimo-nos gregos para encontrar alguma coisa para lhe pôr dentro, mas conseguimos encontrar uma espécie de fiambre de peru, e fizemos um jantar menos marroquino no quarto.





O engraçado é que nos supermercados marroquinos, tudo se vende avulso, até artigos como massas, arroz, etc, e está tudo arrumado de forma bonita, tal como nas bancas de rua:




 photo Marrocos 2080_zpskiechvx2.jpg




 photo Marrocos 2081_zpsjbj1agft.jpg




Fomos acabar a tarde na piscina, e dei uso ao meu fato de banho marroquino, que custou mais do dobro de todos os outros que comprei em toda a minha vida, e que provavelmente nunca voltarei a usar, porque é fluorescente!

Foi o que  se arranjou ;-)

E, o meu olho nunca mais deu sinal de ainda lá andar o resto da lente, por isso posso dizer que passei por Marrocos sem conhecer como funciona o sistema de saúde marroquino!




 photo Marrocos 2083_zpsehrlohjn.jpg




À noite voltámos à praça. Fomos de táxi, e pagámos o dobro do que nos tinham cobrado durante o dia, mas antes de sair perguntámos o preço dos táxis à noite, e ficámos a saber que a tarifa que o taxista da tarde nos tentou impingir era a tarifa da noite.




 photo Marrocos 2097_zpsba6lmznl.jpg




 photo Marrocos 2098_zpstskytgie.jpg




 photo Marrocos 2099_zps0ecfogim.jpg




 photo Marrocos 2100_zpss0qthaua.jpg




 photo Marrocos 2102_zpsp4mxxv2q.jpg




 photo Marrocos 2109_zpss6h8v7gl.jpg




 photo Marrocos 2112_zpsc3ztasot.jpg




 photo Marrocos 2121_zpsbxijycx8.jpg




Terminámos o dia com o melhor chá que tomei durante todo o tempo que por lá andámos, e não era de menta!




 photo Marrocos 2144_zpsz0p94anp.jpg




 photo Marrocos 2145_zpshfw1vj4p.jpg




________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Elisio FJR em Sex Ago 12 2016, 12:19

Cristina olá,

Podes dizer o que quiseres mas para quem faz uma crónica como esta é porque ficou encantado com esta viagem e aventura de filme das Arábias!!!!!!!!!!!!!!!!

Ganhaste 1 M

________________________
MY LIFE IS A HELL!!!
avatar
Elisio FJR
Já sai à rua a conduzir.
Já sai à rua a conduzir.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por jacare em Sex Ago 12 2016, 12:30

Sem dúvida!
Mérito

________________________
"A sorte protege os audazes"
avatar
jacare
Zero à direita
Zero à direita


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por cristina em Qui Ago 18 2016, 23:50

@Elisio FJR escreveu:Cristina olá,

Podes dizer o que quiseres mas para quem faz uma crónica como esta é porque ficou encantado com esta viagem e aventura de filme das Arábias!!!!!!!!!!!!!!!!

Ganhaste 1 M

Brigado V

Não há dúvida que Marrocos tem muito encanto, e estou convencida de que ninguém consegue passar por lá e ficar indiferente  Fixe

E mais um bocadinho do passeio:


Foi um dos melhores dias passados em Marrocos!





À hora marcada lá estávamos, na recepção do hotel com o pequeno almoço tomado à espera do transporte, e 20 minutos depois, começámos finalmente a ficar preocupados!...

O hotel era bonito, e entretive-me a tirar fotos da recepção enquanto esperava, e com meia hora de atraso lá apareceu uma carrinha para nos apanhar.




 photo Marrocos 2147_zpso5dakjwe.jpg



É que o nosso hotel era o "Mogador Gueliz", e tinham dado ao motorista apenas o nome "Mogador", só que em Marraquexe existem, segundo o motorista, 9 hotéis com o nome "Mogador"!



A empresa turística era esta:




 photo Marrocos 2153_zps46f7qhh4.jpg



O motorista deixou-nos é porta, e já lá estavam vários grupos de turistas, que aos poucos foram sendo chamados por destinos.



O nosso grupo foi o último a partir, e enquanto esperávamos, tive oportunidade de registar mais um "transporte impossível"!




 photo Marrocos 2152_zps8jrmfkup.jpg



Agora reparo que durante todo o tempo que por lá andámos não entrámos em nenhum minarete!




 photo Marrocos 2154_zpsoomjnm7o.jpg



A viagem foi longa, e fomos brincando e acompanhando no GPS.




 photo Marrocos 2158_zpsypcocao4.jpg





 photo Marrocos 2160_zpsaal8acdq.jpg



E cá está a nossa viatura turística:




 photo Marrocos 2161_zps2wyhmuri.jpg



O meu banco nem cinto de segurança tinha, mas correu tudo bem!...



Viajava connosco um grupo de 3 americanos, e inicialmente nenhum deles colocou o cinto, mas depois da primeira curva em que um deles (devia ter mais de 1,80m e pesar mais de 100 kg), foi parar ao meio do corredor, os 3 colocaram os cintos...



3 horas depois chegámos ao destino, e o próprio motorista é que escolheu o guia, entre os vários que imediatamente rodearam o "autocarro". Calhou-nos o Youssef, e ficámos muito bem servidos. Era um jovem Berbére, e proporcionou-nos uma excelente visita de 3 horas, mas os Americanos não acharam graça ao facto de ele ter começado logo por dizer que a visita custaria 30 dirhams por pessoa. Eles tinham achado que estaria incluída no pacote, mas Marrocos é Marrocos, e nestas coisas, cada um pede a sua propina.

Depois de muitos protestos, acabaram por aceitar, e o grupo seguiu todo junto com o Youssef.



Logo a primeira vista das cascatas é absolutamente magnífica, e teria valido a viagem, mas havia muitas mais!




 photo Marrocos 2173_zpsgtnewkqa.jpg



 photo Marrocos 2178_zpshoulwpqe.jpg



Continuámos por um carreiro, nem sempre fácil,




 photo Marrocos 2200_zpsyzy1vaqn.jpg



e o Youssef foi explicando como vivem ainda hoje os Berbéres, e entretanto alguém perguntou porque é que as oliveiras tinham marcas coloridas. Segundo ele, é a forma de cada família identificar as suas oliveiras, já que ali não há propriedade do terreno, mas sim das árvores.




 photo Marrocos 2192_zpsje1r5u7m.jpg



Também nos chamou á atenção para pequenas grutas que se avistavam na montanha, e que seriam as suas habitações.







 photo Marrocos 2186_zpsnqrtbi89.jpg




 photo Marrocos 2187_zpsvdyf7gkq.jpg




Chegámos a uma zona de lazer, onde havia mesas e cadeiras, e um vendedor de sumos e laranjas, que era obviamente familiar do Youssef, junto de uma espécie de varanda à beira de uma lagoa com uma cascata, e fizemos uma pausa para hidratar e descansar. Havia corajosos a saltar para dentro da lagoa lamacenta, e os americanos não se fizeram rogados:





 photo Marrocos 2209_zpspshoicnh.jpg





 photo Marrocos 2214_zpsgjxum1iw.jpg





O frigorífico:




 photo Marrocos 2222_zpskfmrhll8.jpg



O local era muito bonito, mas havia ainda muito para escalar, e seguimos caminho.







 photo Marrocos 2226_zpsejdlpdhn.jpg





 photo Marrocos 2227_zpslavt8jnz.jpg





 photo Marrocos 2230_zpshre5ne1z.jpg





 photo Marrocos 2231_zpslg9ncnng.jpg





Uma oferta de alojamento 100% Berbére:




 photo Marrocos 2238_zpsemjrnjtv.jpg



E chegámos à base das cascatas, e o cenário é magnífico!



Não há como descrever!





 photo Marrocos 2249_zpssbidmdfo.jpg





 photo Marrocos 2251_zpsm3wqe2ap.jpg





 photo Marrocos 2255_zpsinf45ptd.jpg





 photo Marrocos 2256_zpsmyoxxmii.jpg





 photo Marrocos 2270_zpsn8uevq3h.jpg





alguns do nosso grupo atravessaram de barcaça, mas nós optámos pela "ponte".




 photo Marrocos 2264_zpszoaupzxr.jpg



 photo Marrocos 2269_zpsdk89nnos.jpg




 photo Marrocos 2271_zpseegmtd96.jpg





 photo Marrocos 2274_zpsp0qu57qi.jpg





 photo Marrocos 2277_zpsknhqcxc2.jpg





Por mim ficava lá, só a admirar a beleza :-)




 photo Marrocos 2294_zpsq0mld47y.jpg



E almoçámos num restaurante de um familiar do Youssef (como não poderia deixar de ser), com esta vista fabulosa:




 photo Marrocos 2305_zpszivkycee.jpg



Claro que o almoço foi mais uma tagine, e esta era das picantes!




 photo Marrocos 2303_zpsmkylslcg.jpg



E depois de almoço chegou a hora de começar a subida de regresso, mas pelo caminho ainda passámos por um local onde havia macacos, e lá estava um Berbére com um saquinho de amendoins e a mão estendida para a propina. Houve um holandês que se fartou de dar amendoins e tirar fotos com o macaco em cima da cabeça, e quando chegou a hora de pagar a "propina", seguiu viagem sem pagar!...





 photo Marrocos 2308_zpskynbzug6.jpg




 photo Marrocos 2309_zpsxgn6xlge.jpg





 photo Marrocos 2312_zpsa8xeknsn.jpg





 photo Marrocos 2324_zpsptefljnp.jpg



Gostei da forma como tinham  o "mobiliário urbano" bem enquadrado:




 photo Marrocos 2326_zpsewfuw5f9.jpg



Regressámos a Marraquexe.

________________________

http://maxitugolandia.blogspot.pt/
Spritmonitor.de
avatar
cristina
Zero à direita
Zero à direita


http://maxitugolandia.blogspot.com/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por nunomsp em Sex Ago 19 2016, 09:34


Fotos lindíssimas. Mérito
avatar
nunomsp
Zero à direita
Zero à direita


http://www.nuno-pereira.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: De Maxiscooter por Marrocos

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum