Buscar
 
 

Resultados por:
 

 


Rechercher Busca avançada

Pub
Conectar-se

Esqueci minha senha

Últimos assuntos
» TRAVELER´S EVENT
por banglentininkas Seg Out 16 2017, 10:22

» O regresso a Monsanto
por Cesar Filipe Sab Out 14 2017, 21:30

» Costa Alentejana
por Pedro Rodrigues Qui Out 12 2017, 00:11

» Volta ao Mundo de Francisco Sande e Castro
por Espsanto Ter Out 10 2017, 22:07

» Caminito D´Del Rey
por Espsanto Ter Out 10 2017, 22:03

» Redescobrindo o Brasil
por Espsanto Ter Out 10 2017, 21:54

» 2017 - Milão/Stelvio/Dolomitas/Liubliana/Verona
por Espsanto Ter Out 10 2017, 21:27

» Uma Viagem ao Centro do Mundo...
por Joao Luis Seg Out 09 2017, 13:55

» Rota dos Balcãs - 2017
por jacare Sab Out 07 2017, 20:46

» Exposição de motas antigas - Matosinhos
por Serzedo Qui Set 28 2017, 09:44

» [Notícia] Mig44 foi 2.º no GP de Aragão
por Serzedo Seg Set 25 2017, 09:40

» BOA NOVA
por Serzedo Qui Set 21 2017, 14:20

» BMW CKLT Jantar das Terças Feiras By João Luis
por Joao Luis Ter Set 19 2017, 22:42

» [Notícia] Ana Carrasco é primeira mulher a vencer num Mundial
por carlos lopes Seg Set 18 2017, 21:54

» picos da europa 2017
por Carlospira Qua Set 13 2017, 21:46

» [Notícia] Federação de Motociclismo oferece árvores
por Serzedo Qua Set 13 2017, 09:40

» Casamento Nádia & Fábio
por Serzedo Ter Set 12 2017, 20:34

» No Cabo de Gata
por Saulo wds Seg Set 11 2017, 12:45

» como transportar moto do brasil para portugal
por luisfilipe Sex Set 08 2017, 22:00

» AJUDA PARA CASTANHEIRA DE PERA
por Joao Luis Sex Set 08 2017, 01:37

» Mais do mesmo... mas diferente: Tomates aos Picos!
por Joao Luis Qua Set 06 2017, 18:16

» De Lisboa aos Picos da Europa (4 dias)
por diariodoviajante Seg Ago 28 2017, 11:53

» 4 dias por Toledo, Segóvia e Ávila
por diariodoviajante Seg Ago 28 2017, 11:50

» [Ensaio] Suzuki V-Strom 650 - 2017
por Cesar Filipe Sex Ago 25 2017, 17:03

» O Caminho de Mota para a India
por Saulo wds Qui Ago 24 2017, 12:52

» [Crónica] - N2 de Faro a Chaves em 2 dias e meio!
por nunomsp Qua Ago 23 2017, 22:30

» De Lisboa a Sagres pela Costa Vicentina
por nunomsp Qua Ago 23 2017, 22:22

» 3 dias pelo Alto Alentejo e Beira Baixa
por nunomsp Qua Ago 23 2017, 22:21

» planear viagens com o TyretoTravel
por nunomsp Qua Ago 23 2017, 22:17

» Diário do Viajante
por diariodoviajante Ter Ago 22 2017, 14:20

» Passeio a Santiago de Compostela
por Cesar Filipe Qua Ago 16 2017, 22:01

» As melhores estradas para conduzir... em Portugal!
por Saulo wds Ter Ago 15 2017, 11:29

» [Notícia] Rossi 'enxotou' ministra checa
por Serzedo Sex Ago 11 2017, 12:30

» gp. aparecida, valpaços, xassos...
por Serzedo Sex Ago 11 2017, 12:10

» SIERRA NEVADA - Las Alpujaras
por Carlospira Qui Ago 10 2017, 22:31

» Competição
por Rico Sousa Ter Ago 08 2017, 15:32

» Escócia 2017
por Swift Ter Ago 08 2017, 11:46

» [Notícia] Mig44 3.º no GP da Repúlica Checa
por Serzedo Dom Ago 06 2017, 16:36

» Viagem a Évora na nova (usada) mota
por Serzedo Qua Ago 02 2017, 14:15

» 22º Encontro Mundial dos Amigos 2CV
por Espsanto Seg Jul 31 2017, 10:31

» Rodagem dos 1000kms
por Carlospira Qua Jul 26 2017, 13:51

» [Notícia] Max Biaggi despede-se do motociclismo
por carlos lopes Ter Jul 25 2017, 21:07

» [Encontro] Porto recebe passeio de motos clássicas
por Espsanto Qui Jul 20 2017, 22:40

» GRANADA ( Al Andaluz II parte)
por nunomsp Ter Jul 18 2017, 10:50

» [Teste] Suzuki V-Strom 1000 - Fiel Companheira
por nunomsp Ter Jul 18 2017, 10:19

Tempo
Al!ve FM

Quarta-feira das 21h às 24h Burn - A hora dos motards

Mapas
Flux RSS


MSN 
AOL 


Doação por Paypal

O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Ramos Pinto em Qui Mar 24 2016, 22:55

Parte 7 - Fim da viagem, pelo Sul de Itália, até Roma




-  25º dia - 10.08.15









Logo pela manhã o calor dava sinais de não abrandar e o tecto de nuvens que por vezes aparecia, não tornava as coisas mais fáceis.

Já estávamos mentalizados para a etapa mais longa de toda a nossa viagem.
A distância, propriamente dita, não era problema mas sim a acumulação de tantos dias com muito calor.

Contudo, a esperança de irmos ver coisas bonitas e únicas, faz com que, de algum modo, esqueçamos um pouco a tormenta do calor.

A paisagem do sul de Itália é bem diferente da Sicília.

Tinha a ideia de que seria um pouco abandonada e pude constatar que não há nada de mais errado.
Os campos são cultivados a perder vista, numa mostra de força agrícola de que não estava à espera. Olivais, vinha e hortícolas, bem ordenados e tratados que dá gosto ver.

Mais à frente passamos para o golfo de Taranto, caminhando ao longo da costa  até sairmos pela SS175 para Matera.

A nossa amiga trovoada há muito que nos acompanhava mas ainda nos deu tempo de visitar a sua Sassi ou centro histórico, utilizado em vários filmes e o orgulho de toda a cidade.

Estes habitantes, segundo as brochuras turísticas, serão os únicos do mundo que podem dizer que ainda hoje habitam as casas dos seus antepassados de há 9.000 anos atrás.
Será ? Vamos acreditar que sim.

São casas, muitas delas cavadas num maciço calcário, localizado num autentico buraco, praticamente rodeado por montes por todos os lados.
Hoje, estão recuperadas por um conjunto de entidades europeias, Unesco e até Hollyowood, que tanto tem utilizado a Sassi di Matera em vários filmes.
Único. Imperdível.

















A sorte acompanha os audazes...pois a trovoada só resolveu descarregar depois da visita.
Saímos ainda debaixo de chuva em direcção a Alberobello mas, definitivamente, hoje era o nosso dia de sorte.
A chuva parou pouco antes de Alberobello e tivemos direito a uma linda tarde de sol.

Alberobello, património da Unesco, com os seus Trullis , é um “miminho” que a todos encanta, como diz a minha penduGraça.

Os Trullis são as construções de pedra seca, originalmente feitas sem argamassa, que tornam esta cidade numa mostra própria de contos de fadas.
















O calor chegou a apertar...e ainda bem, porque foi a causa de termos parado para comer talvez o melhor gelado da minha vida.
Eu que sou um fã incondicional de gelados e que os tenho comido em  tantas e tantas paragens, posso garantir que nunca comi um gelado tão bom e que me tenha sabido tão bem. Top.






Mais retemperados, continuamos o nosso passeio













Uma visita imperdível.

Seguimos para Bari, onde chegamos já ao fim da tarde e onde ainda tivemos tempo de fazer um primeiro contacto com a cidade.

O nosso hotel ficava bem perto da cidade velha, o que nos permitiu fazer a visita a pé.

Cidade portuária por excelência, importante centro comercial do sul de Itália, Bari é uma grande porta de entrada/saída, com os seus ferrys, para todo o Adriático.
Para nós, foi uma surpresa pela positiva, que aconselhamos a visitar.

Rapidamente chegamos às suas muralhas e ao Castelo Normando e nos começamos a embrenhar nas suas ruelas, com muita gente sentada à porta conversando e cumprimentado quem passa, gozando o calor e o fim de tarde lindo que se avizinhava.

















A Catedral de Bari, como que engolida pelo casario, impôs-se aos nossos olhos.

Da original, em estilo bizantino, pouco resta, contudo, não deixei de apreciar a existente do séc. XII, numa importante mostra de arquitectura românica.
Foi dedicada a S. Sabino cujas relíquias se encontram na sua cripta.







Mas era a Basílica de São Nicolau, séc. XI, que procurávamos.

Trata-se dum importante local de culto cristão e ortodoxo, para onde todos os anos milhares de peregrinos se dirigem.
Tem uma estrutura bem original, quase quadrada, tendo, curiosamente, chegado a ser usada como castelo, por mais que uma vez ao longo da sua história.











A noite pedia e, depois de jantar, voltamos ao nosso passeio, perdendo-nos a observar cada pormenor, convivendo e sentindo calor daquelas gentes que simpaticamente nos recebiam e cumprimentavam. O clic estava dado.
Estava decidido... no dia seguinte, antes de partir, tínhamos que voltar a sentir a cidade.

















Até breve já em Salerno




-  26º dia - 11.08.15









Se bem o pensamos, melhor o fizemos, tendo, logo pela manhã, ido registar a Catedral e a Basílica, antes de deixarmos a linda Bari.

A sua Catedral,















A sua Basilica,
















Tinha programado, ontem,  ir jantar a Trani mas, perante a Bari que tínhamos diante dos nossos olhos teria sido, no mínimo, criminoso.
Assim, depois de nos despedirmos de Bari, fizemos um pequeno desvio a Trani para não deixar de registar esta simpática cidade. Em boa hora o fizemos.

Trani, é uma pequena e pitoresca cidade, com um pequeno porto de mar e de recreio, que, pela proximidade da cidade, cria um ambiente bem peculiar.  Cidade simpática.
A tranquilidade e qualidade de vida é bem patente nos mais pequenos pormenores.
Pelo que pude saber a “noite” é bem animada.
O verdadeiro balanço entre a nossa opção de Bari, em detrimento de Trani, terá que ficar para outra altura que ande por estas paragens.

Uma placa junto da esplanada onde estivemos é bem elucidativa  







Uma volta pela cidade e pelo porto, onde um simpático vendedor nos ofereceu búzios ... e que búzios.















Deixamos Trani na direcção do mar Tirreno e de Salerno.

A paisagem é bonita, alternando entre os cereais, a vinha e o olival.
Mais uma vez tudo cultivado.











Chegamos ao fim da tarde a Salerno e foi com alguma dificuldade que demos com o nosso B&B, bem no centro da cidade velha.

Ficava numa ruela em que mal cabia a mota e sinalização nem vê-la, com a agravante que era novo e ninguém o conhecia, até que um inglês, proprietário duma pequena loja que ficava perto, ao ver-nos  em dificuldades lá nos foi levar à porta certa.
O B&B Il Vicolo della Neve era ótimo e muito giro...mas com a desvantagem de ter umas escadas bem íngremes até aos quartos.

Salerno vive do seu porto, dos serviços e do turismo. A  sua parte medieval, onde estávamos sediados, apresenta uma força turística assinalável sem, contudo, perder a sua identidade e das suas gentes.














A sua catedral é o seu monumento de eleição, apesar de estar como que abafada pelo casario, à semelhança dos outros monumentos.
A cripta é lindíssima e nela está sepultado S. Mateus, um dos doze apóstolos.



















Antes da hora do jantar ainda deu para mais uma voltinha na singular cidade velha











até encontrarmos o restaurante ideal dum homónimo meu







Até breve já em Pompeia





-  27º dia - 12.08.15







As imagens do temporal na Calábria, de onde tínhamos vindo e que passaram na televisão, são aterradoras e só temos a agradecer pela sorte que tivemos pois, apesar de tudo e com alguma sorte, conseguimos fazer tudo o que tínhamos planeado.

Despedimo-nos de Salerno a caminho da Costa Amalfitana, um desejo antigo que tinha e que nunca se tinha propiciado fazer.

Apesar de ir fazer  a estrada no sentido sul-norte, estava com alguma curiosidade dada a grande publicidade de que esta costa é alvo.

Paisagisticamente, de facto, a estrada é muito bonita, ora alpendurada em penhascos maiores ou menores, ora nas encostas que correm até ao mar.
Casas e quintas nas encostas são uma constante, numa demonstração da força e da teimosia do homem, que me fez lembrar a nossa Madeira.

Mas...fujam dela nesta altura do ano.
Para a gozar minimamente, temos de nos forrar de paciência, mesmo para quem tem uma mota...e já conduz à italiana.

O tempo passa e os kms não avançam, numa estrada estreita e sinuosa, polvilhada de autocarros, que tornam o transito um autêntico caos infernal.
Tinha programado este dia com poucos kms para ter tempo de gozar a Costa Amalfi e ter a parte da tarde para ir a Pompeia.
Foi o que fizemos mas sem o gozo que tinha imaginado, até porque o calor não nos largava, bem “guardado” pelo tecto de nuvens  que nos acompanhava. Fica o alerta.

























Impressiona o movimento de barcos em todas as enseadas onde os vilarejos estão instalados e de onde se pode ter bem a noção das aldeias e vilas, como que esculpidas na montanha.











Amalfi, Positano e Sorrento são exemplos de cidades que gostaria de ter “vivido” de outra forma e que não tive tempo, porque o malvado do relógio é implacável.
Ficou um gostinho de, quem sabe, um dia voltar, num outro mês e poder saborear estas baías e recantos a meu modo, que bem merecem.
























Chegados a Pompeia e ao nosso hotel, estava na hora dum bom banho e dum melhor almoço, para ganhar forças e podermos partir para as ruínas de Pompeia que, pelo que “sentimos” ao entrar em Pompeia actual, deve ser mesmo a única coisa que vale a pena visitar.

Pompeia vive literalmente das suas ruínas que, de facto, são um reviver dum cidade esplendorosa, incrivelmente sepultada por cinzas,  juntamente com a cidade de Herculano,   devido a uma enorme erupção do Vesúvio.
As cinzas mantiveram a cidade sepultada e  inalterada, por cerca de 1600 anos, até ser descoberta no séc. XVIII.

As escavações arqueológicas continuam ao sabor das ajudas e subsídios, por um autentico batalhão de gente que se vislumbra, aqui e ali, por de trás dos taipais espalhados pela cidade.

A qualidade das suas ruínas e frescos impressiona, bem como a quantidade de turistas . Contudo, dada a sua dimensão, não é incomodativo.

Tivemos alguma sorte com o calor. O sol andava algo encoberto mas que não evitou mais de 2l de água durante as quase 4 horas que por lá andamos.
É uma visita cansativa...mas única.

Poder sentir a qualidade de vida daquela cidade, dos seus fóruns, jardins e teatros é algo que recordarei para sempre, sem poder deixar de mencionar o museu criado para a exposição e conservação de alguns corpos petrificados.





























Ainda tivemos uma pequena réstia de força para, montados na minha Musa, darmos uma volta pela cidade, com a esperança de que a Pompeia actual, tivesse algo que valesse a pena.
Não passou de esperança...

Até breve já em Roma




28º dia - 13.08.15



A nossa última tirada tinha como objectivo dois pontos principais - Nápoles e o Tivoli.

Bem dormidos e descansados do dia anterior, havia que nos precavermos de água pois , bem pela manhã, o dia prometia ser bem recheado de calor.

Foi talvez o dia mais complicado de toda a viagem, com temperaturas reais de 39º/40º, mas que devido ao tecto de nuvens apresentava uma sensação térmica de muito mais.

Em má hora, fizemos a ligação de Pompeia a Nápoles , pela SS18, passando por Herculano.
Não fora o trânsito e teria sido uma decisão acertada...mas o que encontramos foi um autentico caos, onde perdemos muito tempo.

Nápoles...é Nápoles e o nosso imaginário faz o resto.

Não posso deixar de referir que, contra todas as minhas expectativas, Nápoles nos surpreendeu pela positiva...quanto ao lixo.
Vimos muito mais lixo em Torre del Greco ou Herculano.
Contudo, não deixa de ser uma cidade portuária, desordenada, suja, escura, muito grafitada e mal conservada.
Há caos que têm algum encanto...mas este não.

Paramos a mota na praça da Igreja de Gesu Nuovo, bem perto da principal artéria da cidade velha, onde tudo acontece - Spaccanapoli.

























Para lá da sua Duomo, Igreja San Domingos e Catacumbas, o momento alto aconteceu na pequena Capela-Museu de Sansevero, onde procurava algo muito especial - O Cristo Velado.

A capela é pequena e as entradas são muito bem controladas, bem como todo o interior.
A estátua encontra-se bem no centro da capela, muito bem guardada e resguardada, com o pedido bem expresso de que não são permitidas fotos.

Tenho visto algumas esculturas veladas (Prado, Louvre, D’Orsay, Veneza, etc), que muito aprecio mas, que me desculpem Corradini, Strazza ou Monti, que admiro, mas como este Cristo Velado, do  escultor napolitano Giuseppe Sammartino,, nunca vi nada semelhante e que tanto me tocasse.

É duma beleza e perfeição que julgava impossível de transmitir numa estátua em mármore.
Só mesmo estando junto da estátua nos podemos aperceber de quão bela é, esta escultura sublime.

Para que não deixem de ter uma ideia desta maravilha, socorri-me de fotos tiradas na internet, já que o control policial era rigorosíssimo, algo que me custa aceitar com a perfusão da internet que hoje existe , porquê proibir uma recordação fotográfica? Opções.








Até ao Tivoli, bem perto de Roma, foi uma viagem assolada por muito calor, que nos obrigou a fazer várias paragens nas frescas áreas de serviço.
Itália em agosto...

Chegados ao Tivoli fomos direitinhos a Villa d’Este, o nosso principal objectivo, já que, dada a hora, não teríamos tempo para visitar todo o Tivoli, o que não foi mau de todo, pois assim temos uma boa desculpa para voltarmos a Roma e a esta Itália que adoramos.

Depois duma viagem como a que tivemos chegar a Villa d’Este...foi chegar ao paraíso.

Entrar no palácio e deixarmo-nos perder pelos seus jardins, com a frescura das suas fontes, foi algo de único.



































Chegamos a Roma, fora de horas, com o nosso anfitrião a telefonar preocupado por ainda não termos feito o checkin, num local que recomendo - Gregory Place Fine Vatican Suites, que, como o nome indica, fica perto do Vaticano, tem umas instalações óptimas e uma relação preço/qualidade excelente.

O dia seguinte foi para revisitar a sempre linda e bela Roma, que, desta vez, teve uma visita ao interior do Coliseu, ao Palatino e Forum Romano.





























o descanso da guerreira...







por pouco tempo...que a jornada era de muito trabalho













Não podíamos deixar de ir visitar e acompanhar as obras da Fonte Trevi onde conseguimos, desta vez, chegar montados na minha Musa...mesmo até junto da fonte, pela Via della Stamperia , 82. Um luxo.

A fonte estava linda e com as obras de limpeza e restauro quase prontas.
Na hora em que publico esta crónica já foram dadas por concluídas e a fonte livre das amarras dos taipais.
Mais uma desculpa para voltar...







Como sempre, o nosso almoço foi fabuloso, tendo guardado a tarde para deambularmos por Roma ao sabor do improviso e da recordação





























O nosso jantar de despedida foi num belíssimo restaurante, bem perto do hotel, para mais tarde recordar.

No dia seguinte, a Graça partia de avião para Lisboa e eu ia até Civitavecchia, mentalizado para apanhar uma grande “seca” no ferry até Barcelona.

A caminho do aeroporto o tempo resolveu pregar-nos uma partida e desatou a chover desalmadamente, felizmente bem perto dum viaduto...






Cheguei cedo a Civitavecchia

Tinha descarregado para o iPad o Expresso e o Público, que me iriam a judar a passar as quase 24 h no barco, sem imaginar o que iria acontecer...

No meu quarto conheci o Raffa, motociclista espanhol, que por sua vez, me apresentou o Carlos, o Fernando, Javier e o Felix, tudo motociclistas espanhois que regressavam duma volta pela Croácia.

Estavam criadas as condições para uma noitada até de madrugada... o Expresso bem podia esperar para ser lido, talvez em Lagos, para onde me dirigia.







A conversa fluiu ao sabor das viagens, de motos e das peripécias próprias de quem viaja de mota.
Uma viagem de ferry predestinada a ser uma grande pasmaceira, foi palco de grande diversão e testemunha do nascer duma amizade que todos queremos manter.
Quem sabe, um dia, numa viagem todos juntos...continuemos a diversão. Ideias não faltam.







Fui com eles até Valência, de onde segui para Lagos, numa tirada ... de quase 1000 km,  que a pressa de chegar era muita.

A minha Musa puxou dos seus galões de estradista e presenteou-me com um gozo e um conforto, só ao alcance de algumas motas, chegando a Lagos pronto para dar inicio a uma nova viagem.
Esta Musa é TOP.

Não quero e não posso terminar esta crónica sem deixar umas palavras que são devidas.

Em primeiro lugar agradecer por existir e poder ver coisas tão bonitas, como aconteceu, mais uma vez, nesta viagem.

Em segundo lugar, agradecer à minha querida mulher e pendura - PenduGraça, por me acompanhar e por andar tão bem de mota, fazendo com que o gozo em andar de mota seja infinito e completo.
Obrigado pela forma como encaraste os momentos menos bons, por vezes duros com o calor que apanhamos e pela alegria que me deste em ter-te por companheira em mais uma viagem. Um privilégio.

Por último, uma palavra de agradecimento à tecnologia e à BMW, por ter produzido esta mota, esta Musa que tanto gozo me deu, que se portou à altura dos seus pergaminhos, suplantando tudo o que podia esperar. Verdadeiramente TOP.

Até um dia, num qualquer lugar desta nossa linda Europa, com a minha Musa ou outra mota qualquer, vivendo sempre este inexplicável e profundo gozo que é viajar de mota.

Até sempre!

________________________
Eduardo Ramos Pinto

* Andar de Mota é tatuar " LIBERDADE " em cada km, em cada curva...numa paixão de vida.*
avatar
Ramos Pinto
Zero à direita
Zero à direita


http://osonhocomandaamota.wordpress.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Rico Sousa em Sex Mar 25 2016, 11:07

Comentários pra q?
Agradecimento pela partilha, pelas dicas, por tudo.
E merecidos Mérito Mérito Mérito

________________________

... e vamos com calma!
FJRico
avatar
Rico Sousa
Zero à direita
Zero à direita


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por nunomsp em Sab Mar 26 2016, 11:15

Viagem e crónicas extraordinárias.

Obrigado pela partilha. Muitos Mérito

avatar
nunomsp
Zero à direita
Zero à direita


http://www.nuno-pereira.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por ssousa em Ter Mar 29 2016, 00:28

Adorei, adorei, adorei.

Fiquei com algumas ideias para uma aventura.

Sai +1 ,mais que merecido, Mérito .

PARABÉNS

________________________
Abraço Serrano
Sérgio Sousa
avatar
ssousa
Zero à direita
Zero à direita


http://www.casadocomendador.pt

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Carlospira em Ter Mar 29 2016, 11:31

Boas,

Acabei hoje de ler todo este relato maravilhoso.
Não tenho palavras mesmo.
Abraço de grupo Abraço de grupo Abraço de grupo

+1 Mérito

________________________
CARLOS PIRES
Mama Sumae !!
avatar
Carlospira
Zero à direita
Zero à direita


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Elisio FJR em Qua Mar 30 2016, 19:02

Só hoje é que cheguei aqui !!!!!!!!! Muito mais completo que uma verdadeira enciclopédia!!!

M


________________________
MY LIFE IS A HELL!!!
avatar
Elisio FJR
Já sai à rua a conduzir.
Já sai à rua a conduzir.


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Cesar Filipe em Seg Abr 04 2016, 00:11

Shocked

Obrigado por esta excelente crónica e respectivas fotos! Torna-se difícil não sonhar com uma viagem assim...

Mérito

________________________
César Filipe V

avatar
Cesar Filipe
A tirar a carta
A tirar a carta


http://voltinhasdemoto.blogspot.pt/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: O Meu Zoom da Europa...em 2015 - Parte 7

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum